Pesquisar
Pesquisar

Londres confisca US$ 1 bi em ouro da Venezuela e impede combate à pandemia do país

Aleksandr Venediktov, secretário-adjunto do Conselho de Segurança da Rússia, qualificou o ato do Banco da Inglaterra de "expropriação ilegal" efetiva
Redação Sputnik Brasil
Sputnik Brasil
São Paulo (SP)

Tradução:

Reino Unido apreendeu na prática US$ 1 bilhão (R$ 5,44 bilhões) de ouro venezuelano armazenado no Banco da Inglaterra, em uma época em que a nação sul-americana está lutando contra a pandemia, criticou o secretário-adjunto do Conselho de Segurança da Rússia.

“Caracas precisa urgentemente desse dinheiro para lidar com as consequências da pandemia, mas a Corte Superior de Londres declarou Guaidó legítimo chefe de Estado e se recusou a dar [o dinheiro] aos venezuelanos”, disse Aleksandr Venediktov à Sputnik.

“Ou seja, [é] efetivamente um ato de expropriação ilegal. Como devemos entender essa medida? Será que a partir de agora os bancos se tornarão a fonte de legitimidade? Preferiria que não”, apontou.

Aleksandr Venediktov, secretário-adjunto do Conselho de Segurança da Rússia, qualificou o ato do Banco da Inglaterra de "expropriação ilegal" efetiva

Google Fotos
"Caracas precisa urgentemente desse dinheiro para lidar com as consequências da pandemia"

História do dinheiro venezuelano

Em maio, o Banco Central da Venezuela entrou com uma ação judicial em um tribunal comercial em Londres para tentar forçar o Banco da Inglaterra a transferir as reservas de ouro da Venezuela, de forma a financiar o combate ao coronavírus no país.

No entanto, em julho, a Corte Superior britânica se recusou a dar ao governo venezuelano acesso a 30 toneladas de ouro retidas pelo Banco da Inglaterra, depois que o oposicionista do presidente Nicolás Maduro, Juan Guaidó, apresentou sua própria reclamação. O tribunal disse que o Reino Unido “inequivocamente reconhece” o líder da oposição como presidente venezuelano.

A tentativa da Venezuela de liberar seus ativos de ouro congelados no Reino Unido começou depois que os EUA e outros países ocidentais se recusaram a reconhecer os resultados das eleições presidenciais de 2018 na Venezuela, nas quais Maduro garantiu uma vitória esmagadora para outro mandato em meio a um colapso econômico no país.

Agora, o Banco da Inglaterra detém cerca de US$ 1,13 bilhão (R$ 6,15 bilhões) em ouro venezuelano, impedindo que o governo Maduro tenha acesso a ele ou consiga transferi-lo para outro banco.

Redação Sputnik Brasil


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Veja também

 


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Redação Sputnik Brasil

LEIA tAMBÉM

Netanyahu
Pouco há para comemorar na decisão da Corte Penal Internacional contra Netanyahu
Nationale Sozialisten,Demonstration,Recht auf Zukunft,Leipzig,17
Conluio da extrema-direita realizado em Madri é só a ponta do iceberg
EUA-fentanil
12 mortes/hora: EUA usam crise de overdose no país para abalar progressismo de Obrador
Wang-Wenbin-China
China qualifica apoio dos EUA a separatismo em Taiwan como “grave violação” e exige retratação