Pesquisar
Pesquisar

Lula qualifica Netanyahu como "extremista" e questiona cooperação de Biden: "É genocídio"

À Al Jazeera, presidente brasileiro criticou o tratamento dedicado pelo mandatário sionista aos palestinos, como se fossem cidadãos de “terceira classe”
Redação Hora do Povo
Hora do Povo
São Paulo (SP)

Tradução:

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, é “uma pessoa extremista, de extrema-direita, e com sensibilidade baixa para os problemas do povo palestino”.

As declarações do presidente se deram durante a entrevista ao canal de TV do Catar Al Jazeera, transmitida na noite desta sexta-feira (1º). Lula está nos Emirados Árabes para para participar da COP-28.

Assista na TV Diálogos do Sul

“Não se trata de uma guerra tradicional, mas de um genocídio, que mata milhares de crianças e mulheres que não têm culpa alguma”, disse Lula. Questionado sobre o que diria ao primeiro-ministro de Israel, Lula respondeu: “Olha, eu não digo nada, porque, efetivamente, ele é uma pessoa muito extremista, de extrema-direita, com pouca sensibilidade humana para os problemas dos palestinos”.

Ele criticou fortemente o tratamento dedicado por Netanyahu aos palestinos como se fossem cidadãos de “terceira classe” e salientou que “os palestinos devem ser tratados da mesma forma que os judeus”. “Ele tem que aprender a respeitar os palestinos”, disse o mandatário brasileiro.

Continua após o banner

Ele também citou os Acordos de Oslo (capital da Noruega) que visavam uma paz duradoura, porém Israel desrespeitou esses acordos e nunca aplicou. Lula ainda responsabilizou o atual presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, pelo genocídio que acontece na Faixa de Gaza. Os EUA são o maior apoiador de Israel, fornecendo armas e dinheiro. Biden não teve “sensibilidade de falar para acabar com essa guerra”, declarou.

Foto: Reprodução – Al Jazeera 

O líder brasileiro condenou a decisão americana de vetar uma resolução proposta pelo Brasil no Conselho de Segurança da ONU para estabelecer um cessar-fogo.

“Não posso entender como um homem tão importante como o presidente Biden, do país mais importante do planeta, não teve a sensibilidade de falar para acabar com essa guerra. Os Estados Unidos poderiam ter parado a guerra”, afirmou. “Ele tem muita influência, econômica, financeira, militar… Já deveria ter parado a guerra”, completou.

À Al Jazeera, presidente brasileiro criticou o tratamento dedicado pelo mandatário sionista aos palestinos, como se fossem cidadãos de “terceira classe”

Foto: Ricardo Stuckert / PR
Lula: "Enquanto nós estamos discutindo a questão ambiental, temos uma guerra insana entre Israel e a Palestina"




G77 + China

O presidente Lula discursou neste sábado (2) na reunião do G77+China sobre Mudança do Clima, e defendeu a ajuda financeira a países de baixa e média renda, para que os planos de adaptações climáticas possam ser cumpridos.

O grupo abriu os debates na Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas (COP28), em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos. “Estamos sendo duplamente punidos. É questão de justiça climática que aqueles que mais contribuíram para o aquecimento global arquem com sua responsabilidade”, afirmou.

Igualar China a EUA é equívoco que favorece hegemonia imperialista ocidental; entenda

“Países em desenvolvimento vão precisar de quatro a seis trilhões de dólares ao ano para implementar suas contribuições nacionalmente determinadas e planos de adaptações”, prosseguiu o presidente.


Reformas

Lula cobrou um debate para reformar o Bird e o FMI e os mecanismos de financiamento climático concedidos aos países em desenvolvimento.

“Não podemos fugir do debate da reforma do Banco Mundial e do Fundo Monetário Internacional (FMI). Os mecanismos de financiamento climático e ambiental não podem reproduzir a lógica estridente dessas instituições. Os quatros maiores fundos ambientais possuem um saldo de US$10 bilhões de dólares, mas países em desenvolvimento não conseguem acessá-los por empecilho burocrático”, disse.

Continua após o banner

O chefe do Executivo ainda criticou a Guerra de Israel contra os palestinos e cobrou um esforço pela paz. “Não posso deixar de usar esse momento para falar de paz. Enquanto nós estamos discutindo a questão ambiental, temos uma guerra entre a Rússia e a Ucrânia, e uma guerra insana entre Israel e a Palestina. Estamos tentando salvar o planeta para que a gente viva em paz. Vamos salvar vidas, ao invés de destruí-las”, ressaltou.


Papa

Lula registrou em sua rede social uma carta do Papa Francisco lhe agradecendo pela disposição de discutir nos fóruns internacionais as condições sociais e climáticas e o futuro do Planeta.

Redação Hora do Povo


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Assista na TV Diálogos do Sul


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Redação Hora do Povo

LEIA tAMBÉM

Wu Qian - China
Líder em Taiwan empurra compatriotas para situação perigosa de guerra, afirma China
Rússia-Defesa
Kremlin manda prender altos funcionários da Defesa por corrupção; entenda o caso
Rafah-ataque-Israel
Fepal: Como Alemanha nazista, Israel deve ser parado pela força das armas
Netanyahu
Pouco há para comemorar na decisão da Corte Penal Internacional contra Netanyahu