Pesquisar
Pesquisar

Lula sobre Chile: América Latina resiste e começa escrever nova página de sua história

Outras personalidades brasileiras também se pronunciaram sobre a vitória histórica do povo chileno na aprovação da abertura de um processo constituinte; confira:
Redação Diálogos do Sul
Diálogos do Sul
São Paulo (SP)

Tradução:

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva saudou, através de sua conta do Twitter, na manhã desta segunda-feira (26), “a coragem e o exemplo do Chile, que ontem derrotou na força do voto a Constituição ditatorial de Pinochet”.

Lula disse ainda que “a América Latina resiste e começa a escrever uma nova página de sua história. Parabéns, povo chileno!”

“Saúdo a coragem e o exemplo do Chile, que ontem derrotou na força do voto a Constituição ditatorial de Pinochet. A América Latina resiste e começa a escrever uma nova página de sua história. Parabéns, povo chileno!”

Outras personalidades brasileiras também se pronunciaram sobre a vitória histórica do povo chileno na aprovação da abertura de um processo constituinte; confira:

Twitter | Reprodução
Chilenos comemoram o fim da Constituição de Pinochet

Para a ex-presidenta Dilma Rousseff, que também utilizou as redes sociais para parabenizar os cidadãos chilenos, a vitória no plebiscito “é resultado de um grande movimento popular de protesto contra o neoliberalismo e a repressão”.

Outras personalidades também se pronunciaram sobre votação realizada neste domingo no Chile, confira:

Vitória Histórica

A votação realizada neste domingo (25) no Chile é, em muitos aspectos, histórica. Após 22 anos do plebiscito que derrubou a ditadura de Pinochet, os chilenos decidiram, com mais de 75% dos votos, que a Constituição herdada daquele período também deve ruir e que o processo para a nova Constituição deverá ser realizado por uma assembleia constituinte.

A atual Constituição chilena remonta a 1980 e, embora alterada várias vezes, é criticada por ser uma herança do regime militar de Augusto Pinochet e por dar um papel residual ao Estado na prestação de serviços básicos, o que é justamente um dos motivos dos protestos que começaram em 18 de outubro de 2019 e se estenderam até março de 2020, em um movimento que passou a ser conhecido como estallido social (ou estouro social, em tradução literal).

O resultado já era esperado, como apontava as pesquisas eleitorais. A maior expectativa se dava em torno de como o processo será realizado. E essa foi a segunda questão colocada para os chilenos. Com 78% dos votos, venceu a convocação de uma Assembleia Constituinte. Assim, 155 novos congressistas deverão ser eleitos em abril de 2021.

A decisão popular é uma derrota para o presidente do país, Sebastian Piñera, que defendia uma assembleia mista, com 50% de congressistas já eleitos e 50% por representantes eleitos exclusivamente para confeccionar a nova Carta Magna.

Veja como foi a cobertura completa da Diálogos do Sul: 


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Veja também

   

Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo
jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista
Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os
nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção
jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Redação Diálogos do Sul

LEIA tAMBÉM

Gustavo Petro
Violação dos acordos de paz: entenda por que Petro vai denunciar a própria Colômbia na ONU
Haiti
Haiti: há pelo menos 20 anos comunidade internacional insiste no caminho errado. Qual o papel do Brasil?
Betty Mutesi
“Mulheres foram protagonistas na reconstrução da paz em Ruanda”, afirma ativista Betty Mutesi
Colombia-paz
Possível retomada de sequestros pelo ELN arrisca diálogos de paz na Colômbia