Pesquisar
Pesquisar

Maduro denuncia movimento de tropas irregulares da Colômbia para a Venezuela

Presidente venezuelano convocou Forças Armadas e Brigadas Bolivarianas a defender fronteira
Michele de Mello
Brasil de Fato
São Paulo (SP)

Tradução:

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, denunciou nessa terça-feira (22), que a inteligência militar venezuelana identificou a movimentação de tropas irregulares da Colômbia para o território venezuelano, na região fronteiriça de La Guajira. 

Para deter a suposta ameaça, Maduro anunciou a ativação de um Plano de Cooperação de Operações, que será coordenado por Postos de Comando Estaduais e Municipais, além de 2.361 quadrantes de paz, organizações que articulam tropas da Força Armada Nacional Bolivariana (Fanb), das Brigadas Bolivarianas e das organizações populares de base, como as Unidades de Batalha Hugo Chávez (UBCh).

“É hora de defender a paz da República. Estamos ativando todos os organismos de inteligência e contra-inteligência, porque estamos defendendo a Venezuela e a tempo. Temos como, sabemos como e vamos fazer: defender a paz da Venezuela, a integridade territorial, a união do país e o direito a autodeterminação”, declarou. 

Presidente venezuelano convocou Forças Armadas e Brigadas Bolivarianas a defender fronteira

Prensa Latina
Presidente Nicolás Maduro anunciou um novo Plano de Operações para defender o território venezuelano de possíveis ameaças.

Segundo Maduro, a Casa Branca orientou a Administração de Controle Antidrogas (DEA) para coordenar com a Agência Central de Inteligência (CIA) de ações desestabilizadoras contra Venezuela. Sua denúncia teria como base o depoimento de Matthew Jhon Heath, suposto agente da CIA, detido na última sexta-feira, (11). Heath foi capturado enquanto viajava da fronteia colombiana para o norte da Venezuela, portando informações sigilosas sobre a estatal petroleira, PDVSA. O estadunidense é acusado de pretender explodir a refinaria de Amuay, estado de Falcón, responsável por produzir mais de 300 mil barris de petróleo, de acordo com investigações do governo bolivariano.

Esta não é a primeira vez que a Venezuela denuncia a coordenação de planos golpistas a partir do território colombiano. Há um ano, na 74ª Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas, a vice-presidenta executiva Delcy Rodríguez denunciou a existência de acampamentos de treinamento paramilitar na cidade colombiana de Riohacha, cerca de 80km da fronteira venezuelana. 

Vice-presidenta venezuelana deu coordenadas exatas dos acampamentos paramilitares na Colômbia durante 74ª Assembleia Geral da ONU / VTV

Já no começo de 2020, vários fatores apontam a relação de agentes colombianos com a tentativa de invasão paramilitar, a chamada Operação Gedeon. Os militares estadunidenses detidos revelaram que treinavam cidadãos venezuelanos no território colombiano. Também foram encontradas lanchas da marinha colombiana abandonadas na Costa venezuelana. 

Na transmissão em cadeia nacional desta segunda-feira, Maduro ainda declarou que se reuniu com o Estado Maior e com seu gabinete para determinar ações de defesa que serão adotadas no último trimestre de 2020, considerando a realização das eleições legislativas no dia 6 de dezembro. 

Edição: Rodrigo Durão Coelho

Veja também


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.

Michele de Mello

LEIA tAMBÉM

mapuche-carabineros
2 anos de estado de exceção na terra mapuche: "É muito chocante. Nos tratam como terroristas"
Macron - Nova Caledônia3
Revolta na Nova Caledônia: por que França tentou golpe e insiste em controlar arquipélago?
Venezuela-acordo (3)
Acordo de respeito às eleições entre Maduro e oposição é marco histórico para Venezuela
Rússia-Coreia-do-Norte2
Putin: Aliança com Coreia do Norte não deve preocupar, a menos que um de nós seja atacado