Pesquisar
Pesquisar

Mais pobres e com recursos esgotados, regiões rurais são epicentro da pandemia na Índia

Especialistas alertam para uma catástrofe se a questão não for abordada, já que migrantes podem carregar a doença após retornarem às cidades
Alfredo Boada Mola
Prensa Latina
Nova Delhi

Tradução:

Enquanto a onda de Covid-19 atinge a Índia com maior força, mais da metade das mortes devido à pandemia ocorrem em distritos rurais. 

O país de 1,350 bilhão de habitantes registrou, nesta quinta-feira (6) um recorde sombrio de 412.262 novos casos e 3.980 mortes em decorrência da doença contagiosa, segundo dados do Ministério da Saúde e Previdência da Família.

Foi a maior contagem diária da pandemia no mundo, enquanto o cenário nacional mostra sinais evidentes de que o coronavírus SARS-CoV-2, causador da doença, está se espalhando rapidamente para os distritos rurais, causando muito mais mortes.

Durante o último mês de abril, foram registrados mais óbitos nas áreas rurais do que nas urbanas, embora o número total de casos tenha sido maior nas cidades, destacou o portal Down to Earth.

Os distritos rurais foram responsáveis por 45,4% dos novos casos e ainda assim sofreram 50,8% das mortes devido à Covid-19 naquele período.

A zona rural não só recebe os milhões de trabalhadores migrantes que voltam das cidades para suas casas nas aldeias, mas também são locais onde os recursos para aliviar a pandemia estão esgotados, apontou o portal Scroll.

Especialistas alertam para uma catástrofe se a questão não for abordada, já que migrantes podem carregar a doença após retornarem às cidades

Trinity Care Foundation
Médico volunt´ário atende paciente

Especialistas alertam para uma catástrofe se a questão não for abordada, já que os trabalhadores migrantes agora têm maior probabilidade de carregar a doença contagiosa com eles após retornarem às cidades após viver meses com renda limitada e nutrição reduzida.

A maioria das pesquisas registra uma desvantagem relativa das famílias migrantes no acesso a redes de segurança pública, tanto nas cidades quanto nos municípios de destino.

Soma-se a isso a falta de instalações e pessoal básico de saúde; os resultados dos exames laboratoriais, que demoram uma semana para chegar; a falta de oxigênio e as frágeis cadeias de abastecimento enfrentadas pelos residentes rurais.

Quase 70% das famílias relataram uma redução na renda desde o lockdown para frear a propagação do coronavírus, e 28% disseram que a falta de recursos pode forçá-los a retirar seus filhos das escolas.

Por outro lado, a falta de assessoria quando o resultado de um teste é positivo  significa que as pessoas não saibam exatamente o que fazer com os medicamentos.

Entre as razões para o alto número de mortes no interior da Índia está uma infraestrutura de saúde rural mais fraca do que nas cidades.

Mais de 65% da população indiana é rural, de acordo com o Banco Mundial, mas a região tem apenas 37% dos leitos em hospitais públicos, segundo o Perfil Nacional de Saúde, de 2019.


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Assista na Tv Diálogos do Sul

   

Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Alfredo Boada Mola

LEIA tAMBÉM

Netanyahu
Pouco há para comemorar na decisão da Corte Penal Internacional contra Netanyahu
Nationale Sozialisten,Demonstration,Recht auf Zukunft,Leipzig,17
Conluio da extrema-direita realizado em Madri é só a ponta do iceberg
EUA-fentanil
A DEA, a ofensiva contra o México, o fentanil e os mortos por incúria
Wang-Wenbin-China
China qualifica apoio dos EUA a separatismo em Taiwan como “grave violação” e exige retratação