Pesquisar
Pesquisar

Não perca! Semana do Orgulho e Resistência LGBTQI+ será transmitida online este ano

A programação contará com atrações culturais, debates, além do lançamento do Conselho Popular Nacional LGBTI+; Confira:
Redação Brasil de Fato
Brasil de Fato
São Paulo (SP)

Tradução:

Cerca de 30 organizações ligadas à temática LGBTI+ irão realizar, entre os dias 23 e 28 de junho, a Semana do Orgulho e Resistência, que contará com atrações culturais, debates, manifestações políticas, além do lançamento do Conselho Popular Nacional LGBTI+. Todas as atividades serão transmitidas por meio da página oficial do conselho no Facebook.

As datas escolhidas coincidem com o Mês do Orgulho LGBTI+ e com a revolta de Stonewall, ocorrida em Nova York, no dia 28 de junho de 1969, quando um grupo ligado ao movimento enfrentou a violência sofrida decorrente de ações policiais

No Brasil, e em outros lugares do mundo, a situação ainda não é diferente. De acordo com a Associação Nacional de Travestis e Transexuais (ANTRA), o país é considerado o campeão no ranking de crimes contra a população LGBTQI+. Entre janeiro e abril deste ano, a violência contra a população transgênera aumentou em 58% em relação ao mesmo período de 2019.

“Enquanto o Legislativo e o Executivo se omitem em aprovar leis e consolidar uma política de Estado na garantia dos direitos desta população, o Supremo Tribunal Federal, como guardião da Constituição Cidadã de 1988, vem na vanguarda, reconhecendo a omissão do Legislativo e do Executivo, equiparando o crime contra LGBTI+ ao racismo, e, mais recentemente, derrubando a restrição de doação de sangue por esta população”, afirmam as cerca de 30 organizações.

APOIE A DIÁLOGOS

No começo de maio, o STF decidiu derrubar as restrições do Ministério da Saúde e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) à doação de sangue por homens gays. Até então, os bancos de sangue rejeitavam a contribuição de homossexuais que tinham feito sexo com outros homens nos 12 meses anteriores à coleta.

A programação contará com atrações culturais, debates, além do lançamento do Conselho Popular Nacional LGBTI+; Confira:

CanalTech
As datas escolhidas coincidem com o Mês do Orgulho LGBTI+ e com a revolta de Stonewall

Confira a programação: 

23 de junho
Transgeneridades para além da binaridade: 10h30 às 12h
História do Orgulho LGBTI+: 15h às 16h30

24 de junho
Saúde LGBTI+, sexualidade e envelhecimento saudável: 10h30 às 12h10
Desafios e a resistência da juventude LGBTI+: 14h às 15h45
Orgulho e a resistência LGBTI+ e o avanço do conservadorismo nas Américas: 18h às 19h45h

RECEBA NOSSO BOLETIM

25 de junho 
LGBTI+ e o mundo do trabalho: 10h30 às 12h10
Resistência bissexual e lésbica, e o feminismo contra o neofascismo: 15h às 16h45

26 de junho
LGBTI+, Direito à Cidade, território e diversidade: 10h30 às 12h15
Festival Travestilizando: 13h às 20h30

27 de junho
O papel do Estado na garantia de direitos da população LGBTI+: 10h30 às 12h10
Negritude em evidência e resistência: 14h30 às 16h
Projeção Mapeada: 21h às 22h

28 de junho 
Tuitaço: 15h às 16h
Lançamento do Conselho Nacional Popular LGBTI+: 16h às 17h
Ato cultural: 17h às 20h

Edição: Lucas Weber


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Veja também


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Redação Brasil de Fato

LEIA tAMBÉM

Palestina
Ocidente deveria se preocupar com massacre operado por Netanyahu livremente
Assange
Silêncio, imperialismo e guerra midiática: por que não podemos nos esquecer de Assange?
Prancheta 55
Reino Unido decide expulsar mais de 50 mil pessoas solicitantes de asilo para Ruanda
Design sem nome - 1
Mortes, prisões e espionagem: jornalista palestina escancara ‘apartheid’ de Israel