Pesquisar
Pesquisar

No Brics, Xi Jinping defende multilateralismo e princípios da ONU; leia íntegra do discurso

Devemos aproveitar fortalecer as posições sobre assuntos internacionais e regionais e fazer a voz do BRICS ser mais ouvida, disse o líder chinês
Redação Diálogos do Sul
Diálogos do Sul Global
São Paulo (SP)

Tradução:

Com formato digital, e tendo como sede a capital indiana, Nova Deli, os líderes de Brasil, China, Rússia, Índia e África do Sul (Brics) se reuniram na última quinta-feira (9) para a 13ª Cúpula do Brics com o objetivo de destrinchar temas de grande adesão global, como a pandemia de coronavírus e a recuperação econômica mundial.

Em seu discurso, o presidente chinês Xi Jinping pontuou a importância do BRICS para o desenvolvimento do planeta e ressaltou a necessidade de promover o multilateralismo e a luta solidária global contra a Covid-19.

“Temos que promover a prática do verdadeiro multilateralismo, ater-nos aos propósitos e princípios da Carta das Nações Unidas (ONU) e defender o sistema internacional centrado na ONU e na ordem internacional baseada no direito internacional”, pontuou.

Para isso, o líder asiático apresentou cinco iniciativas para “fortalecer a unidade e melhorar ainda mais a qualidade da cooperação substancial do BRICS”, entre elas, a de “persistir na solidariedade para reforçar a cooperação em saúde pública”.

“Temos que assumir nossas responsabilidades políticas”, ponderou o líder chinês, em um apelo para que as nações se apoiem mutuamente nos “esforços anti-epidêmicos” através da “cooperação em âmbitos como a pesquisa, o desenvolvimento e a produção conjunta de vacinas”, além de intensificar a cooperação na medicina tradicional para desenvolver mais instrumentos contra a pandemia. 

Outro importante ponto levantado por Xi Jinping, foi a necessidade de persistir na equidade e na justiça para reforçar a cooperação política e em segurança. Para o presidente, é vital consolidar a Associação Estratégica dos BRICS, para “defender juntos a soberania, a segurança e os interesses de desenvolvimento”. 

Devemos aproveitar os mecanismos como a reunião de altos representantes de segurança, tendo em vista fortalecer a coordenação de posições sobre importantes assuntos internacionais e regionais e fazer a voz do BRICS ser mais ouvida, disse o líder chinês ao ressaltar que “é imperativo implementar o Plano de Ação dos BRICS contra o Terrorismo”, medida que combate o financiamento de atos extremistas.

Xi Jinping enfatizou que seu país tem brindado vacinas e apoio técnico aos países que o necessitam, além de fazer uma campanha positiva no combate a pandemia de forma global. 

“Até o presente, a China proporcionou mais de um bilhão de doses de vacinas e insumos a mais de 100 países e organizações internacionais, e se esforçará para oferecer 2 bilhões de doses ao mundo até o fim deste ano”, disse ao aproveitar a ocasião para anunciar que “doará outros 100 milhões de doses de vacinas aos países em vias de desenvolvimento”.

Confira o discurso do presidente chinês na íntegra:

Devemos aproveitar fortalecer as posições sobre assuntos internacionais e regionais e fazer a voz do BRICS ser mais ouvida, disse o líder chinês

Reprodução
Em seu discurso, o presidente chinês Xi Jinping pontuou a importância do BRICS para o desenvolvimento do planeta.

Estimados colegas:

Atualmente, a pandemia da COVID-19 continua se propagando por todo o mundo, a recuperação econômica mundial é difícil e tortuosa e a ordem internacional está experimentando transformações profundas e intrincadas. Diante dos desafios, os países do BRICS temos que demonstrar sentido de responsabilidade, fazer contribuições positivas para a paz e o desenvolvimento do mundo e promover a construção da comunidade de futuro compartilhado da humanidade. 

—Temos que promover a prática do verdadeiro multilateralismo, ater-nos aos propósitos e princípios da Carta das Nações Unidas (ONU) e defender o sistema internacional centrado na ONU e na ordem internacional baseada no direito internacional. 

—Temos que promover a luta solidária global contra a COVID-19, juntar esforços para enfrentar a pandemia, persistir no rastreamento científico das origens do vírus, recusar a politização e a estigmatização, reforçar a coordenação em prevenção e controles e impulsionar a pesquisa, o desenvolvimento, a produção e a distribuição equitativa das vacinas como bens públicos globais. 

—Temos que promover o crescimento aberto e impulsionado pela inovação, contribuir para a recuperação estável da economia mundial, e salvaguardar o sistema multilateral de comércio baseado na Organização Mundial do Comercio (OMC), de maneira que os mais recentes progressos científico-tecnológicos beneficiem a todos os países e que a globalização econômica avance para um rumo mais aberto, inclusivo, equilibrado e beneficioso para todos. 

—Temos que promover o desenvolvimento comum, aderir à filosofia do desenvolvimento centrada no povo e implementar integralmente a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável. É nosso mister enfrentar ativamente a mudança climática seguindo o princípio de responsabilidades comuns, porém diferenciadas, e fomentar a transição para um desenvolvimento verde e baixo em carbono, com vistas a construir juntos um mundo limpo e formoso. 

Leia também:
China toma medidas enérgicas em relação à educação, saúde e habitação para evitar crise

Estimados colegas,

As atuais circunstâncias nos exigem afiançar a convicção, fortalecer a unidade e melhorar ainda mais a qualidade da cooperação substancial dos BRICS. Para tal efeito, quisera formular as seguintes cinco iniciativas:

Primeiro, persistir na solidariedade para reforçar a cooperação em saúde pública. Temos que assumir como é devido nossas responsabilidade políticas, apoiar-nos mutuamente em nossos respectivos esforços anti epidêmicos, compartilhar informações sobre a pandemia e intercambiar experiência anti epidêmicas.  Necessitamos implantar uma cooperação em âmbitos como a pesquisa, o desenvolvimento e a produção conjunta de vacinas, e o reconhecimento recíproco de padrões, assim como promover o pronto lançamento na Internet do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento dos BRICS. Devemos intensificar a cooperação na medicina tradicional para desenvolver mais instrumentos contra a pandemia. 

Segundo, persistir na equidade e na acessibilidade para reforçar a cooperação internacional em vacinas.  A China tem brindado vacinas e apoio técnico concernente aos países em necessidade, e tem feito uma positiva contribuição em fomento da distribuição equitativa das vacinas e na cooperação anti epidêmica global. Até o presente, a China proporcionou mais de um bilhão de doses de vacinas e insumos a mais de 100 países e organizações internacionais, e se esforçará para oferecer 2 bilhões de doses ao mundo até o fim deste ano. Quisera aproveitar esta ocasião para anunciar que além da doação de 100 milhões de dólares à COVAX, no correr deste ano a China doará outros 100 milhões de doses de vacinas aos países em vias de desenvolvimento. 

Terceiro, persistir no benefício mútuo e nos ganhos compartilhados para reforçar a cooperação econômica. Devemos levar a bom termo a Estratégia para a Associação Econômica dos BRICS 2025, e ampliar a cooperação em terrenos como o comércio, os investimentos, a inovação científica e tecnológica e o desenvolvimento verde e baixo em carbono. A China propõe convocar uma reunião de alto nível dos BRICS sobre a mudança climática e um fórum de BRICS de macro dados para o desenvolvimento sustentável. Saudamos os avanços substanciais do Novo Banco de Desenvolvimento na ampliação de sua membresia, e espero que o banco desempenhe um papel mais relevante em apoio ao desenvolvimento de seus membros e nos assuntos econômicos e financeiros globais. Foi posto oficialmente em funcionamento o Centro de Inovação, em Xiamen, da Associação para a Nova Revolução Industrial nos BRICS, no qual foram organizadas atividades como formação de talentos, simpósio de think tanks e concurso de inovação industrial. No ano que vem, o Centro planeja realizar atividades como um fórum de desenvolvimento de Internet industrial e manufatura digital, às quais sempre são bem-vindos os departamentos governamentais pertinentes e o setor industrial e comercial dos países dos BRICS. Com o Acordo de Cooperação sobre a Constelação de Satélites de Teledetecção dos BRICS já firmados, temos o mister de levá-lo à prática de maneira mancomunada, em benefício dos povos dos cinco países. 

Quarto, persistir na equidade e na justiça para reforçar a cooperação política e em segurança. Temos que consolidar a Associação Estratégica dos BRICS, apoiar-nos mutuamente nos assuntos concernentes a nossas respectivos interesses vitais e defender juntos a soberania, a segurança e os interesses de desenvolvimento. Devemos aproveitar bem os mecanismos como a reunião de chanceleres e a reunião de altos representantes de assuntos de segurança, tendo em vista fortalecer a coordenação de posições sobre importantes assuntos internacionais e regionais e fazer mais escutada a voz dos BRICS. Neste ano aprovamos o Plano de Ação dos BRICS contra o Terrorismo, e é imperativo implementá-lo efetivamente.  

Quinto, persistir na aprendizagem mútua para reforçar o intercâmbio povo a povo e a cooperação cultural. No presente ano, a China celebrou o Concurso de Inovação dos BRICS para Mulheres, acrescentando assim uma pincelada de cor na cooperação dos BRICS em tempos de pandemia. A China também propôs estabelecer uma Aliança de Educação Profissional dos BRICS e organizar concursos de habilidade profissionais, com a finalidade de criar uma plataforma de intercâmbio e cooperação entre colégios vocacionais e empresas dos cinco países. Após isso, a China albergará o seminário sobre a governança dos BRICS e o fórum de intercâmbio povo a povo e cultural dos BRICS, e ofereceremos um curso de capacitação pela internet para profissionais dos meios de comunicação dos cinco países. Além disso, no princípio do próximo ano, a China hospedará os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Inverno de Beijing, e estamos à expectativa de que os jogadores dos países dos BRICS e do resto do mundo demonstrem suas habilidades esportivas e conquistem bons resultados.

Colegas,

Como reza um antigo ditado chinês, Um homem de sabedoria se adapta às mudanças; um homem de conhecimento age segundo as circunstâncias”. No caminho de prover a cooperação dos BRICS, temos que adaptar-nos às mudanças e avançar com os tempos. Ao realizar cooperações nos diversos terrenos, devemos enfocar-nos mais nas áreas prioritárias e adotar uma atitude mais prática, para que rendam resultados substanciais. É nosso mister ajustar e aperfeiçoar o conteúdo e as modalidades de nossa cooperação em base aos consensos para responder às circunstâncias mutáveis e às necessidades reais. Estou convencido de que, com nossos esforços reunidos, o mecanismos BRICS extravasará de flamante dinamismo e vigor.


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Assista na Tv Diálogos do Sul

 

   

Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:



As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.

LEIA tAMBÉM

Congo-golpe-Christian-Malanga
Quem são e o queriam golpistas dos EUA mortos em ataque ao Congo em 19/5
Cuba-bloqueio
EUA mantêm Cuba como patrocinadora do terrorismo para afogar projeto cubano de soberania
Joseph-Stiglitz
Nobel de Economia defende reforma tributária nos EUA que cobre mais dos super riscos
Putin-Xi (1)
Do comércio à segurança, união China-Rússia ganha força e vira dor de cabeça para Ocidente