Pesquisar
Pesquisar

O ano em 10 matérias: confira a retrospectiva 2023 da Diálogos do Sul

Matérias abordam do ataque golpista de 8/1 em Brasília à atual violência sionista em Gaza e ajudam a refletir sobre fatos marcantes dos últimos 12 meses
Guilherme Ribeiro
Diálogos do Sul
Bauru (SP)

Tradução:

O ano chega ao fim e, no clima de retrospectiva, a Diálogos do Sul tem o prazer de apresentar as matérias mais lidas.

Rever essa trajetória nos ajuda a entender os temas que capturaram a atenção do público, relembrar acontecimentos marcantes e refletir sobre os desafios para 2024.

2023 foi o ano do retorno de Lula à presidência do Brasil, após a histórica derrota eleitoral da extrema-direita.

Logo em 8 de janeiro, porém, um ataque golpista em Brasília provou que o plano neofascista, neoliberal e fundamentalista não é página virada, e encampado pelo centrão, impõe a urgência de mobilizar massas em defesa do projeto escolhido nas urnas.

Na América Latina, as eleições no Equador e na Argentina deram vitória a candidatos que ameaçam gravemente a democracia, o progressismo e os movimentos populares. 

Também nesse ano, em setembro, o golpe no Chile completou 50 anos, tema que a Diálogos do Sul transformou no livro digital Chile: Anatomia de um Golpe”.

Continua após o banner

Vale destacar os levantes no Gabão e no Níger, reflexos de mudanças profundas na África e da luta contra o neocolonialismo francês no continente

No Leste Europeu, a guerra na Ucrânia continuou, marcada pela famigerada contraofensiva, aposta do imperialismo, superada pela Rússia assim como as sanções. 

O Brics se expandiu, dando força às movimentações do Sul Global pela desdolarização e contra o imperialismo.

Também nos últimos meses, o mundo registrou temperaturas recordes, resultado da crise climática somada ao fenômeno El Niño. Deslizamentos, inundações e outras catástrofes destruíram cidades inteiras no Brasil e no mundo, como na Líbia, enquanto potências insistem na omissão e a humanidade se aproxima dos pontos de não retorno.

2023 se encerra com as cenas do massacre operado por Israel em Gaza. A violência desproporcional iniciada pelo sionismo após a ofensiva do Hamas, em 7 de outubro, expõe o programa genocida de Netanyahu contra a Palestina, com o apoio dos EUA, e que tem levado multidões às ruas em todo mundo em prol do cessar-fogo e da solução de dois Estados.

Confira abaixo as 10 publicações mais lidas do ano. Em seguida, acesse o link para a lista completa.

HAARP provoca chuvas e terremotos com fins militares? A verdade sobre o projeto no Alasca


Não há espaço para passividade na UNE, somos rebeldes consequentes, afirma nova Presidenta


Maria Conga: a quilombola e heroína que teve busto vandalizado em Magé (RJ)


Gravações secretas revelam: ministros sabiam e foram coniventes com torturas na ditadura


Análise: Jornal Nacional atua como cúmplice e propagandista do holocausto palestino


Cannabrava | Golpe em andamento serve aos propósitos da Otan


Mídia brasileira só fala de Venezuela: o que está por trás da obsessão e ninguém te conta?


África: O que Rússia, França e o urânio têm a ver com o golpe militar no Níger?


Laboratórios biológicos, valas comuns: por que a ONU não condena a Gestapo ucraniana?


Silêncio: é proibido defender a Palestina em Hollywood


Para conhecer a relação completa das publicações mais lidas de 2023, clique aqui.

Guilherme RibeiroJornalista e colaborador na Diálogos do Sul.


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Assista na TV Diálogos do Sul



As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Guilherme Ribeiro Jornalista graduado pela Unesp, estudante de Banco de Dados pela Fatec e colaborador na Revista Diálogos do Sul.

LEIA tAMBÉM

protestos-peru
Cleptocracia, ignarocracia, bufocracia: o declínio do substantivo "democracia" no Peru
Bolivia-guerra-hibrida-eua (1)
Guerra híbrida na Bolívia entra em nova fase e EUA querem "mudança de regime" até 2025
Petro-Colombia
Petro reage a ataques de guerrilheiros contrários ao acordo de paz: "Não toleraremos"
Milei
"Barbárie" e "desequilíbrio emocional": Petro e Fernández criticam nova selvageria de Milei