Pesquisar
Pesquisar

O Brexit redefine a geopolítica mundial

Revista Diálogos do Sul

Tradução:

Favorável ao Brexit, a raínha Isabel II vai poder reorientar o seu país em direção ao yuan.

Thierry Meyssan*
Brexit 1Contrariamente aquilo que escreveu a imprensa europeia, a City de Londres não está diretamente envolvida no Brexit. Tendo em conta o seu estatuto particular de Estado independente colocado sob a autoridade da Coroa, ela jamais fez parte da União Europeia. Claro, ela não poderá, mais, abrigar as sedes sociais de certas companhias que se irão transferir para a União, mas, por outro lado, ela poderá usar a soberania de Londres para desenvolver o mercado do yuan. Já em abril, ela obteve os privilégios necessários, assinando para tal um acordo com o Banco Central da China. Além disso, deverá desenvolver as suas atividades como um paraíso fiscal para os Europeus.
Mesmo que o Brexit vá temporariamente desorganizar a economia britânica, à espera de novas regras, é provável que o Reino Unido –-ou, pelo menos, a Inglaterra– se reorganize rapidamente, para seu total benefício. Resta saber se os mentores deste terremoto terão a sabedoria de fazer o seu povo se beneficiar disso: o Brexit é um regresso à soberania nacional, mas não garante a soberania do povo.

O panorama internacional pode evoluir de formas muito diferentes, segundo as reações que já estão surgindo. Porém,  mesmo que corra mal para alguns povos, esse panorama será muito mais realista, tanto como os britânicos, em vez de persistir num sonho e acabar trombando contra a dura realidade.

  1. A CGT (Confederação Geral dos Trabalhadores) é e organização operária mais importante da França. Nota da Rede Voltaire.

Thierry Meyssan – Intelectual francês, presidente-fundador da Rede Voltaire e da conferência Axis for Peace. Suas análises sobre política exterior são publicadas na imprensa árabe, latino-americana e russa. Última obra publicada em espanho: a grande impostura II. Manipulação e desinformação nos meios de comunicação. Teve grande repercussão seu livro “L’Effroyable imposture”, em que afirma que nenhum avião se espatifou contra o Pentágono e que o 11 de setembro foi um complot da CIA. Tradução Alva
 


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Revista Diálogos do Sul

LEIA tAMBÉM

Petro-Colombia
Petro reage a ataques de guerrilheiros contrários ao acordo de paz: "Não toleraremos"
Milei
"Barbárie" e "desequilíbrio emocional": Petro e Fernández criticam nova selvageria de Milei
José Raúl Mulino
Eleição no Panamá simboliza crise sistêmica que atinge democracia "representativa"
Vox-Abascal-Milei
Xenofobia e delírios ultradireitistas: Vox reúne asseclas em Madri