Pesquisar
Pesquisar

O papel da mídia no Golpe de 64

Cinemateca Diálogos do Sul

Tradução:

Cinemateca Diálogos do Sul*

observatorioimprensaO Observatório da Imprensa especial Chumbo Quente sobre os 50 anos do Golpe Militar revela o papel de um dos protagonistas da queda do ex-presidente João Goulart: a mídia.

direitos_humanos58658O especial mostra como a mídia passou de parceira nos primeiros meses do mandato de Jango à mais feroz combatente do presidente.
Os jornais dos anos 1960 inflamavam a opinião pública. E levavam para as ruas a posição política de seus proprietários.
Em tempos de Guerra Fria, parte dos jornais via em Jango o perigo comunista desde o princípio, enquanto outros deram um voto de confiança ao presidente mas acabaram rompendo quando o governo optou pela radicalização.
Na reta final do mandato de Jango, poucas publicações ainda apoiavam o presidente. A maior parte dos jornais assumiu o tom panfletário. E foi surpreendida quando a esperada quartelada se converteu em uma ditadura que durou 21 anos.
Confira:


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Cinemateca Diálogos do Sul

LEIA tAMBÉM

protestos-peru
Cleptocracia, ignarocracia, bufocracia: o declínio do substantivo "democracia" no Peru
Bolivia-guerra-hibrida-eua (1)
Guerra híbrida na Bolívia entra em nova fase e EUA querem "mudança de regime" até 2025
Petro-Colombia
Petro reage a ataques de guerrilheiros contrários ao acordo de paz: "Não toleraremos"
Milei
"Barbárie" e "desequilíbrio emocional": Petro e Fernández criticam nova selvageria de Milei