Pesquisar
Pesquisar

O pensamento de Che Guevara nas páginas da Cadernos do Terceiro Mundo

Há cinquenta e três anos, morria Ernesto ‘’Che’’ Guevara, um dos maiores revolucionários de todos os tempos
Gabriel Farias
Diálogos do Sul Global
São Paulo (SP)

Tradução:

Há exatos cinquenta e três anos, no dia 09 de outubro de 1967, morria Ernesto ‘’Che’’ Guevara, um dos maiores revolucionários de todos os tempos. 

Durante os anos de guerrilha em Sierra Maestra, ele foi um dos principais líderes do Movimento 26 de Julho. 

Após a tomada de poder, chegou a chefiar a presidência do Banco Central de Cuba, entre 1959 e 1961, e, logo depois, foi Ministro da Indústria, cargo que ocupou até 1965. No entanto, devido ao seu espírito combatente e de solidariedade entre os povos, ele decidiu se abdicar dos seus cargos em Cuba para ajudar na luta revolucionária do Terceiro Mundo.

Há  cinquenta e três anos, morria Ernesto ‘’Che’’ Guevara, um dos maiores revolucionários de todos os tempos

Reprodução: Flickr
Após a sua morte, Che Guevara virou um verdadeiro símbolo de rebeldia.

Chegou a passar alguns meses no Congo e, em 1966, foi para a Bolívia organizar o movimento guerrilheiro de Ñancahuazú, onde, infelizmente, acabou falecendo. 

Após a sua morte, Che Guevara virou um verdadeiro símbolo de rebeldia. 
Com o seu rosto eternizado pela famosa fotografia de Alberto Korda e seus escritos e discursos que pregavam a luta dos povos contra as nações e grupos opressores, ele conquistou milhões de pessoas pelo mundo, passando pelo simples jovem estudante dos centros urbanos latino-americanos até o combatente das guerrilhas do continente africano. 
Para alguns, ele foi um romântico dentro de um mundo real conturbado e difícil de mudar. Para outros, ele foi um verdadeiro herói que merece todas as homenagens possíveis. Nos dias atuais, infelizmente, certos indivíduos, normalmente financiados por grupos burgueses, querem construir uma narrativa sobre a vida de Che Guevara repleta de mentiras e de absurdos com o objetivo de destruir a sua imagem. 
No entanto, mesmo com todo o dinheiro possível dos think tanks liberais ou dos jornais da grande mídia, esses infames nunca conseguirão tirar a importância do revolucionário argentino para a história da humanidade.

Para defender sua memória, hoje vamos relembrar uma matéria especial, feita em 1987, sobre Che Guevara. Na matéria, temos um texto do saudoso Eduardo Galeano em que ele relembra a personalidade do argentino e cede um fragmento de uma entrevista em que ele mesmo fez com o revolucionário, em 1964. Nesta entrevista, Guevara fala sobre as possibilidades de uma revolução na América Latina e o papel cubano nesse processo. 
Também temos nessa mesma matéria a carta de despedida a Fidel que Guevara escreveu em 1965. Por último, temos do próprio Che na Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento, realizado em Genebra, na Suiça, no dia 25 de março de 1964. 
Aqui, Guevara fala sobre a opção pelo socialismo e denúncia o modus operandi do sistema financeiro internacional e suas instituições tais como o FMI, Bird, Gatt e BID. Para ele, o Fundo Monetário Internacional seria o cão de guarda do dólar no campo capitalista das relações internacionais. Enfim, são excelentes documentos para quem quer entender a importância desse grande revolucionário. 

Memória

Tema complexo, que requer uma análise de longo prazo e a compreensão da geopolítica atual. Para uma visão histórica do tema, compartilhamos reportagem publicada na revista Cadernos do Terceiro Mundo de 1997.

Diálogos do Sul é a continuidade digital da revista fundada em setembro de 1974 por Beatriz Bissio, Neiva Moreira e Pablo Piacentini em Buenos Aires:

A recuperação e tratamento do acervo da Cadernos do Terceiro Mundo foi realizada pelo Centro de Documentação e Imagem do Instituto Multidisciplinar da UFRRJ, fruto de uma parceria entre o LPPE-IFCH/UERJ (Laboratório de Pesquisa de Práticas de Ensino em História do IFCH), o NIEAAS/UFRJ (Núcleo Interdisciplinar de Estudos sobre África, Ásia e as Relações Sul-Sul) e o NEHPAL/UFRRJ (Núcleo de Estudos da História Política da América Latina), com financiamento do Governo do Estado do Maranhão.


‘’ Especial – Che Guevara: a vigência de seu pensamento’’ por Equipe Cadernos do Terceiro Mundo. CADERNOS DO TERCEIRO MUNDO. Rio de Janeiro: Terceiro Mundo, ano 10, n. 104, out. 1987, p. 12-20. 

Confira a edição completa da revista nº 104 :


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Veja também


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.

Gabriel Farias

LEIA tAMBÉM

Jorge Glas
Equador: estado de Jorge Glas é "extremamente grave" e prisão constitui "tortura", alerta defesa
Sudão-Darfur-fome
Limpeza étnica e bola de barro para saciar a fome: entenda a crise em Darfur, no Sudão
Ossos-LWSB
Junto à fábrica de munições construída por Israel na Guatemala, o maior centro de extermínio do país
Primeiro-ministro-georgia-Irakli-Kobakhidze
Projeto de lei na Georgia que anula direitos LGBT+ visa eleições; intolerância atinge 90% da população