Pesquisar
Pesquisar

O que significa o desembarque de mais uma força de elite dos Estados Unidos na Colômbia?

Denunciada como inconstitucional, a notícia causa preocupação com a ampliação das possibilidades de confronto na fronteira com a Venezuela
Raúl Antonio Capote
Granma
Havana

Tradução:

Uma brigada pertencente à Força de Assistência de Segurança do Exército dos Estados Unidos, integrada por 800 soldados, chegará à Colômbia durante o mês de junho, segundo um comunicado conjunto emitido pela embaixada estadunidense em Bogotá e pelo Ministério de Defesa Nacional do país sul-americano. 

Os militares chegarão ao solo colombiano para avançar na suposta luta contra o narcotráfico, refere Telesur.

Diversas personalidades da nação colombiana apontaram como inconstitucional o desembarque de tropas estrangeiras sem autorização expressa do Senado, e mostram sua preocupação com os possíveis cenários de confronto na fronteira com a Venezuela, o que pode ser considerado uma provocação por parte da nação vizinha. 

“A bancada no Congresso do Partido Força Alternativa Revolucionária do Comum (FARC) rechaça a presença de tropas estadunidenses em nosso país. Isto atenta contra a soberania nacional e, ademais, é inconstitucional, já que deve ser autorizada ou não pelo Senado, não pelo Presidente”, expressou a organização em um comunicado. 

Denunciada como inconstitucional, a notícia causa preocupação com a ampliação das possibilidades de confronto na fronteira com a Venezuela

Telesur
Os militares dos EUA chegarão em solo colombiano em junho para avançar na luta contra o narcotráfico

A presença de efetivos militares dos Estados Unidos nesse país está associada à prostituição de menores, violações de mulheres e outros delitos. Em 2015, o historiador Renán Vega denunciou, no informe que apresentou à Comissão Histórica do Conflito e suas Vítimas, que 53 mulheres haviam sido violadas por fardados estadunidenses aquartelados na base de Tolemaida.

A potência do Norte conta com outras seis instalações como essa em solo colombiano: Palanquero, Apiay, Bahía Málaga, Malambo, Larandia e Cartagena. Além disso, os acordos de cooperação firmados entre ambos os países permitem a presença de empreiteiros estrangeiros, cuja cifra se desconhece. 

O que significa a chegada de uma força de elite nestes momentos à Colômbia? Porque acontece justamente depois da chegada dos navios tanques iranianos à Venezuela? Por que depois do fracasso da incursão armada mercenária contra a Venezuela? Digam o que disserem, o anúncio coloca lenha nova na fogueira agressiva com a pátria de Bolívar e Chávez.

Raúl Antonio Capote, do Granma

Granma, especial para Diálogos do Sul — Direitos reservados.

Tradução: Beatriz Cannabrava


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Veja também


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Raúl Antonio Capote

LEIA tAMBÉM

Lopez-Obrador-Claudia-Sheinbaum (2)
Eleições no México: sob legado de Obrador, esquerda caminha para vitória com Claudia Sheinbaum
Cópia de DIREITA TERÁ FORÇA PARA DERROTAR CONSTITUIÇÃO(124)
Roberto Requião: Saí do PT porque adotaram liberalismo econômico do Guedes
Luis Abinader
Política de Abinader contra refugiados do Haiti é contradição que ameaça economia dominicana
Carlos Rodríguez
"Milei provocou uma das recessões mais rápidas e profundas da história", diz ex-braço direito