Pesquisar
Pesquisar

Ofensiva de Lira contra ICL e Pública viola Constituição e visa sufocar mídia independente

Parlamentar pede indenizações e a retirada do ar de conteúdos envolvendo denúncias, incluindo de agressão física, feita por sua ex-esposa Jullyene Lins
Rafael Tatemoto
Brasil de Fato
Brasília (DF)

Tradução:

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), abriu uma ofensiva contra veículos jornalísticos que produziram matérias negativas a seu respeito. Nesta quarta-feira (12), foram divulgadas ações judiciais contra, primeiramente, o ICL Notícias e contra a Agência Pública.

As ações pedem indenizações e a retirada de conteúdo do ar. Em comum, além da tramitação no Judiciário de Brasília, é o fato de que ambos veículos produziram notícias envolvendo as denúncias, incluindo de agressão física, da ex-mulher de Lira, Jullyene Lins.

Lira deve ser enfrentado: impor bolsonarismo derrotado nas urnas é afronta à democracia

Os jornalistas e a equipe que compõem o ICL Notícias, veículo de comunicação do Instituto Conhecimento Liberta, afirmam terem sido surpreendidos pelas ações judiciais promovidas pelo presidente da Câmara contra o canal. A direção da Agência Pública afirma ainda que reitera o conteúdo de sua produção e que repudia “a tentativa de intimidação judicial com pedido de censura prévia“.

“A atitude de Arthur Lira contra à atividade jornalística representa uma ameaça frontal à liberdade de expressão, direito garantido pela Constituição de 1988 e pilar do Estado Democrático de Direito vigente”, diz a nota. 

Continua após o banner

De acordo com William de Lucca, jornalista do veículo, não houve qualquer notificação anterior por parte de Lira. Ainda que não sejam legalmente obrigatórias, é comum que ações deste tipo sejam antecipadas de pedidos extrajudiciais. A Pública afirmou que o deputado “tenta agora censurar o trabalho jornalístico de notável interesse público“.

“Nos pegou de surpresa o pedido do Arthur Lira, fazemos jornalismo independente e profissional. Sempre dando direito ao contraditório, ouvindo todos os lados envolvidos em uma disputa e foi o que a gente fez no caso. A gente deu voz a denúncias da Jullyene Lins, ex-mulher do Lira. A gente mostrou o documento, a versão dela e deixou o espaço aberto para ele, o que ele não fez, ele optou por não fazer”, relata ao Brasil de Fato

Parlamentar pede indenizações e a retirada do ar de conteúdos envolvendo denúncias, incluindo de agressão física, feita por sua ex-esposa Jullyene Lins

Yahoo
Parlamentar empreendeu uma "manifestação autoritária de quem deveria zelar pelo fortalecimento da democracia", denuncia manifesto

Justiça nega liminar

A Justiça não aceitou o pedido liminar de suspensão das matérias em nenhuma das ações. Para de Lucca, de qualquer forma, o pedido de Lira é uma tentativa de sufocamento da liberdade jornalística e de expressão. 

“É um canal de notícias sustentado somente pelo Instituto Conhecimento Liberta, pelos alunos do Instituto. É uma estratégia muito comum entre esses grupos políticos poderosos fazer um sufocamento financeiro dos veículos: processos constantes para que eles não tenham condições de pagar os custos e acabem por desistir de falar sobre determinados temas”, afirma. 

Kits superfaturados, comprados com emenda de Lira, deram prejuízo de R$ 4,2 milhões

A defesa de Lira sustenta que os fatos veiculados pelo ICL Notícias, incluindo acusações de agressão por parte de sua ex-mulher, já foram resolvidos judicialmente em favor do parlamentar. 

Para Mabel Dias, integrante do Conselho Gestor do Intervozes – coletivo especializado em comunicação e a defensa da liberdade de expressão -, isso não justificaria o pedido de retirada de conteúdo, que considera “preocupante para a imprensa para o trabalho jornalístico como um todo”.

Continua após o banner

“É claro que é preciso tomar todos os cuidados com a honra das pessoas, com a dignidade, com a história. Mesmo sendo uma personalidade pública. Mas a imprensa precisa ter a liberdade de se pronunciar, de fazer reportagem, de fazer investigações e de fazer coberturas sobre esses assuntos e outros que venham a ser de interesse da sociedade. E é importante saber sobre isso”, defende ela. 

A iniciativa de Lira gerou reações de apoiadores do canal. Um manifesto foi divulgado nos meios digitais para adesão de qualquer pessoa. No texto de apoio ao ICL Notícias, o parlamentar é criticado por ter empreendido uma  “manifestação autoritária de quem deveria zelar pelo fortalecimento da democracia”.

Continua após o banner

A reportagem procurou ouvir o deputado Arthur Lira sobre o tema. Caso ele se manifeste, este texto será atualizado. 

Rafael Tatemoto | Brasil de Fato | Brasília
Edição: Rodrigo Durão Coelho


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Assista na TV Diálogos do Sul


Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Rafael Tatemoto

LEIA tAMBÉM

Lula
Frei Betto | Para Lula, momento exige maior sintonia entre governo e movimentos sociais
Lula-RS-Brasil (2)
Nas mãos de Lula, caos no RS é sequela do bolsonarismo: desmonte ambiental e fake news
mães - palestina
Dia das Mães: algumas mães só querem a paz de presente, lembra ato pró-Palestina em Brasília
RS - inundações
Chamado à solidariedade internacionalista: inundação no RS demanda mobilização