Pesquisar
Pesquisar

Oito candidatos aspiram a presidência de Honduras.

Revista Diálogos do Sul

Tradução:

elecciones hondurasEm Tegucigalpa, Honduras, oito aspirantes à Presidência da República deverão participar no próximo dia 14 de agosto, de um fórum sobre o tema da competitividade do país, auspiciado pela Organização de Estados Americanos (OEA) e o Conselho Hondurenho da Empresa Privada (Cohep), entre outros.

Com esse objetivo, representantes de todos os partidos políticos que disputarão pelo triunfo nas eleições gerais de 24 de novembro, se reuniram com Aline Flores, presidenta do Cohep, para ultimar detalhes sobre o evento que se desenvolverá desde as primeiras horas nas instalações do Banco Centro-americano de Integração Econômica (BCIE).

William Chong Wong, assessor presidencial e representante nacionalista, informou que o objetivo do encontro é para que os presidenciáveis possam apresentar seus planos sobre esse aspecto em particular.

Foram definidos os lineamentos do programa e os temas que cada candidato deve abordar, entre eles a geração de emprego, comércio, desenvolvimento do país, qualidade e rentabilidade da produção.

Também serão analisadas as estratégias que o próximo governo deverá adotar para seguir adiante, tomando em conta as relações com outros países e os tratados internacionais já subscritos.

Pacto

De acordo com Eduardo Reina, dirigente do partido Liberdade e Refundação (Libre) afirmou que o painel será uma boa oportunidade para que a aspirante Xiomara Castro possa exp;or seu ponto de vista sobre competitividade, fator importante pra que a empresa privada e os investimentos impulsionem o país.

“Nossa candidato foi bastante clara em que os empresários devem afastar qualquer temor, pois o importante é concretizar um grande pacto social. Se necessita um país com segurançaa jurídica para que se possa responder em um marco de legalidade aos problemas que afligem esta nação, expressou o candidato presidencial pelo Libre.

Segurança

Benjamín Bográn, por sua vez, dirigente liberal, depois de apoiar o encontro afirmou que o pilar fundamental para fortalecer a competitividade é garantir a segurança. Nesse sentido expressou que o candidato liberal Mauricio Villeda enfatizará que a pequena e media empresa para impulsionar a economia do país, porém o mal chamado “imposto de guerra”, levou à quebra a muitos negócios.

Com o fim de enfrentar esse flagelo com efetividade, é importante fortalecer os três operadores de justiça, como a Polícia, Ministério Público e Corte Suprema de Justiça, asseverou.

Estimou que a crise econômica é tão grave que o atual governo deixará como herança a seu sucessor um déficit que superará os 100 bilhões de lempiras, entre dívida pública, cambio e contas a pagar.

Os candidatos

1. Orle Solís (DC).?2. Jorge Aguilar (PINU).?3. Salvador Nasralla (PAC).?4. Juan Orlando Hernández (PN).?5. Mauricio Villeda (PL).?6. Romeo Vásquez (Alianza Patriótica).?7. Xiomara Castro (LIBRE).?8. Andrés Pavón (UD-FAPER).


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Revista Diálogos do Sul

LEIA tAMBÉM

Javier_Milei
Milei bloqueia 5 mil ton de comida, deixa mais pobres com fome e inflama revolta na Argentina
Héctor Llaitul
Sem provas, justiça do Chile condenou líder mapuche Héctor Llaitul em prol de madeireiras
protestos-peru
Cleptocracia, ignarocracia, bufocracia: o declínio do substantivo "democracia" no Peru
Bolivia-guerra-hibrida-eua (1)
Guerra híbrida na Bolívia entra em nova fase e EUA querem "mudança de regime" até 2025