Pesquisar
Pesquisar

Outorgam prêmio máximo de jornalismo a Stella Calloni

Revista Diálogos do Sul

Tradução:

Stella Calloni, jornalista e escritora, representante de Diálogos do Sul na Argentina, recebeu o  Prêmio Rodolfo Walsh, reconhecimento máximo da Faculdade de Jornalismo e Comunicação de La Plata, por sua trajetória e compromisso com a democracia e a comunicação como ferramenta a serviço dos povos.

 

Stella Calloni homenageada com o Prêmio Rodolfo Walsh

Por Héctor Bernardo
Docente da Faculdade de Jornalismo e Comunicação da UNLP

(La Plata, Buenos Aires, Argentina, novembro de 2012) – A Faculdade de Jornalismo e Comunicação Social da Universidade Nacional de La Plata (UNLP) outorgou no dia 27 de novembro, o Prêmio Rodolfo Walsh à reconhecida jornalista e escritora Stella Calloni e ao jornalista Eduardo Aliverti.

O Prêmio Rodolfo Walsh é a máxima distinção outorgada pela Faculdade de Jornalismo da UNLO. Em sua essência o reconhecimento leva a um conjunto de valores que a instituição considera fundamentais para si e para seus alunos: o democrático, que se reflete no fato de que a escolha para entrega da distinção é feita pelos próprios alunos da Faculdade (que são mais de seis mil) e em seguida é referendada pelo Conselho Diretor da instituição; e o compromisso com a comunicação como elemento de transformação da realidade a serviço dos povos, que está implícito no nome do Prêmio,  tendo em vista que Rodolfo Walsh é um dos expoentes máximos da militância e do jornalismo argentino.

Os argumentos esgrimidos pelos alunos e pelo Conselho de Direção para premiar Stella, destacaram a “minuciosa pesquisa sobre a história recente da América Latina, especialmente ao divulgar as secretas artimanhas utilizadas por diferentes setores para desestabilizar governos democráticos”

Stella foi correspondente de guerra em países da América Central e África do Norte e se especializou em política internacional. Além disso foi editora e diretora de revistas e atualmente é correspondente na América do Sul, com sede em Buenos Aires do diário La Jornada, de México e, representante da ONG brasileira Diálogos do Sul.

Entre suas obras destacam-se: Nicarágua: o Terceiro Dia; Panamá, pequena Hiroshima e Os anos do Lobo: Operação Cóndor; Cóndor Pacto criminoso; Evo na mira da CIA e DEA na Bolívia.

O prêmio Nobel da Paz, Adolfo Pérez Esquivel, presente à solenidade de premiação de Stella Calloni disse que “com alegria recebi a notícia de que te outorgam o Prêmio Rodolfo Walsh, jornalista e escritor que foi coerente com seu povo em suas lutas e esperanças por uma sociedade livre e digna em seus valores e decisão foi manifestar-se como argentino e jornalista contra a ditadura militar imperante em nosso país e deu a vida para dar vida. Rodolfo deixou a nosso povo o legado de ser coerente entre o dizer e o fazer e assumiu os riscos da militância o o exercício da verdade”.

“Hoje, querida amiga Stella, companheira de caminhada pelo continente latino-americano e em nosso país, teu exemplo de vida e luta com os povos , desde teu compromisso como militante, jornalista e pesquisadora e na docência, é um justo reconhecimento a outorga do Prêmio Rodolfo Walsh…. Os que te conhecemos, te acompanhamos solidariamente e reconhecemos teus valores profissionais, fundamente tua cálida amizade na lucha compartilhada junto aos povos”.

Também foi lida carta enviada pelo embaixador da Venezuela, Carlos Martínez Mendoza e em nome do presidente Hugo Chávez transmitiu seus cumprimentos à jornalista e escritora, recordando seu eterno compromisso com as causas mais nobres.

A distinção entregue pela Casa de Altos Estudos já foi outorgada a reconhecidas figuras no âmbito da cultura, política e da comunicação. Entre os quais se destacam o presidente da Venezuela, Hugo Chávez Frías; a líder das Mães da Plaza de Mayo, Hebe de Bonafini, o jornalista Víctor Hugo Morales e o escritor de origem uruguaio Eduardo Galeano e o grupo de música Calle 13. No dia 4 de dezembro será entregue o prêmio em reconhecimento ao presidente do Equador, Rafael Correa.


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Revista Diálogos do Sul

LEIA tAMBÉM

Javier_Milei
Milei bloqueia 5 mil ton de comida, deixa mais pobres com fome e inflama revolta na Argentina
Héctor Llaitul
Sem provas, justiça do Chile condenou líder mapuche Héctor Llaitul em prol de madeireiras
protestos-peru
Cleptocracia, ignarocracia, bufocracia: o declínio do substantivo "democracia" no Peru
Bolivia-guerra-hibrida-eua (1)
Guerra híbrida na Bolívia entra em nova fase e EUA querem "mudança de regime" até 2025