Pesquisar
Pesquisar

Países muçulmanos reconhecem Jerusalém Oriental como capital Palestina

Revista Diálogos do Sul

Tradução:

templemountmain-770x400Da Cúpula da OCI participam os representantes de 48 países, entre eles 16 são apresentados pelos líderes dos Estados.

A Organização para a Cooperação Islâmica (OCI) declarou Jerusalém Oriental como a capital da Palestina, segundo diz a resolução aprovada durante a cúpula de emergência da organização; OCI também apelou a todos os países que reconheçam “o Estado da Palestina e Jerusalém Oriental como sua capital ocupada”, diz o documento citado pelo jornal turco Hurriyet; um apelo semelhante foi expresso pelo presidente turco, Recep Tayyip Erdogan.
A Organização para a Cooperação Islâmica (OCI) declarou Jerusalém Oriental como a capital da Palestina, segundo diz a resolução aprovada durante a cúpula de emergência da organização.
A OCI também apelou a todos os países que reconheçam “o Estado da Palestina e Jerusalém Oriental como sua capital ocupada”, diz o documento citado pelo jornal turco Hurriyet.
Um apelo semelhante foi expresso pelo presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, por cuja iniciativa se realizou a cúpula da OCI em Istambul.
5031501A resolução sublinha que os EUA perderam seu papel de mediador no Oriente Médio, exortando Washington a cancelar sua decisão de reconhecer Jerusalém como a capital de Israel. Em caso contrário, Washington arcará com toda a responsabilidade pelas consequências dessa medida, segundo diz o documento.
Da Cúpula da OCI participam os representantes de 48 países, entre eles 16 são apresentados pelos líderes dos Estados.
Na semana passada, o presidente estadunidense, Donald Trump, anunciou que seu país reconhece a cidade de Jerusalém como capital de Israel e autorizou a transferência da embaixada norte-americana de Tel Aviv para Jerusalém.
A decisão dos EUA foi aprovada por Israel, mas causou reações negativas de vários países, principalmente do Oriente Médio. A indignação dos palestinos com a medida resultou em apelos a uma “terceira intifada”, inúmeros protestos, confrontos armados e ataques de mísseis na Cisjordânia.
O estatuto da cidade se tornou um dos problemas centrais do conflito palestino-israelense. Israel chama a cidade de sua capital “única e indivisível”. A Palestina, por sua parte, considera como sua capital a parte oriental de Jerusalém, que passou a ser controlada por Israel em resultado da Guerra dos Seis Dias de 1967. A comunidade internacional não reconhece a ocupação da cidade por parte de Israel e insiste em resolver a disputa através de um acordo entra a Palestina e Israel.


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.

LEIA tAMBÉM

2560px-Hotel_InterContinental_(Madrid)_01
Grupo que articula ataques a Obrador faz novo encontro da ultradireita global em Madri
netanyahu-genocidio-Palestina
Pogroms, censura, manipulação midiática: o que Ocidente esconde sobre o genocídio palestino
Wu Qian - China
Líder em Taiwan empurra compatriotas para situação perigosa de guerra, afirma China
Rússia-Defesa
Kremlin manda prender altos funcionários da Defesa por corrupção; entenda o caso