Pesquisar
Pesquisar

Papa Francisco adverte: "palavras são poderosas, com elas se faz uma guerra"

"É a mesma coisa você destruir uma pessoa com palavras do que com uma bomba atômica. As palavras são muito poderosas"
Papa Francisco I
Roma

Tradução:

Todos temos alguns defeitos, todos. Porém estamos acostumados, em parte por inércia, em parte pela força da gravidade do egoísmo, a olhar os defeitos dos outros. Somos especialistas nisso, todos. Rapidinho encontramos os defeitos dos outros. E falamos deles. Porque falar mal dos outros é agradável, a gente gosta (…) Isso não é novidade: já se fazia na época de Jesus. É algo que, com o pecado original que temos nos leva a condenar os outros, a condenar. Nos transformamos em especialistas em encontrar coisas ruins nos outros, sem ver as nossas. E Jesus disse: “Você condena o outro por uma coisa tão pequena, e tem coisas muito maiores e não as vê”. Está certo: nossa maldade não é tanta, porque estamos acostumados a não ver nossos limites, não ver  nossas faltas, porém somos especialista em ver as faltas dos outros.

Leia também:
Diálogos do Sul lança campanha de assinaturas colaborativas no Catarse

E Jesus nos disse uma palavra feia, muito feia: “Se você vai por esse caminho, você é um hipócrita. É feio dizer hipócrita: Jesus falava para os fariseus, para os doutores da Lei, que diziam uma coisa e faziam outra Hipócrita. Hipócrita significa alguém que tem um duplo pensamento, um duplo julgamento: Um que diz abertamente e outro à escondidas, com a que condena os demais. É ter uma dupla maneira de pensar, uma dupla maneira de se fazer ver. Alguém que se faz ver como uma pessoa boa e perfeita, e por trás condenam. Por isso Jesus foge dessa hipocrisia e nos aconselha: “É melhor que olhe os seus defeitos e deixe que os outros vivam em paz. Não se meta na vida dos outros: Cuide da sua vida”.

Isso não termina aqui: as fofocas não terminam com as fofocas; falar mal dos outros vai muito além, semeia discórdia, semeia inimizades, semeia o mal. Presta atenção, não é exagero: Pela palavra começam as guerras. Falando mal  de outras pessoas, você começa uma guerra. Um passo à guerra, um destruição.

"É a mesma coisa você destruir uma pessoa com palavras do que com uma bomba atômica. As palavras são muito poderosas"

Facebook
Papa Francisco I

Pois é a mesma coisa você destruir uma pessoa com palavras do que com uma bomba atômica, é a mesma coisa, você destrói com a palavra, e a palavra tem o mesmo poder de destruir que uma bomba atômica. É muito poderosa. Não sou eu quem diz isso, quem disse foi o apóstolo Santiago em uma carta. Pega uma Bíblia e veja. É muito poderosa! Tem capacidade de destruir. Com insultos, falando mal das pessoas, começam muitas guerras: guerras domésticas (dentro de casa); se começa a gritar, guerra entre os vizinhos, guerra no local de trabalho, na escola, na paróquia… por isso Jesus disse: “Antes de falar dos outros, pega um espelho e olha pra você mesmo; olha suas maldades e envergonhe-se delas. Assim ficará calado diante dos defeitos dos outros.”

Trechos da homilia do papa Francisco proferida na paróquia romana San Crispín de Viterbo em 4 de março de 2019


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Papa Francisco I

LEIA tAMBÉM

Palestina-jovens
No 76° aniversário da Nakba, juventude internacional se levanta pela Palestina
Nakba
Crônica de uma Nakba anunciada: como Israel força “êxodo massivo” dos palestinos de Gaza
Questão-racial-Brasil (1)
Lima Barreto, 13 de maio e a questão racial no Brasil
Palestina- Gaza
Relatório do Repórteres Sem Fronteiras minimiza crimes de Israel contra jornalistas palestinos