Pesquisar
Pesquisar

Papa Francisco: Leis devem gerar pontes e diálogo

Revista Diálogos do Sul

Tradução:

“As leis que vocês promulgam e aplicam – exortou o Papa – deveriam construir pontes de diálogo entre as diversas perspectivas políticas”.

“As leis que vocês promulgam e aplicam – exortou o Papa - deveriam construir pontes de diálogo entre as diversas perspectivas políticas”,
“As leis que vocês promulgam e aplicam – exortou o Papa – deveriam construir pontes de diálogo entre as diversas perspectivas políticas”,

Leis que construam pontes de diálogo e que promovam um maior cuidado pelos indefesos e marginalizados, recordando que ninguém deve ser descartado, em nenhuma fase da vida.

Esta foi em síntese a exortação do Papa Francisco, ao receber após o Angelus na Sala Clementina, no Vaticano, os participantes do encontro da Rede Mundial de Legisladores Católicos.

Francisco alegrou-se, em particular, em saber do aumento do número de participantes no encontro, o que faz crescer assim a “representação de uma ampla gama de experiências políticas e legislativas, evidenciando ainda mais claramente uma realidade humana coletiva que reflete a universalidade da Igreja”.

De modo particular, esta alegria deveu-se ao crescimento da participação de legisladores vindos de países africanos:

“Este ano, não obstante o cenário seja caracterizado por uma série de temas urgentes, vocês colocaram a atenção na visão cristã da pessoa humana. Vos encorajo, uma vez retornados às vossas respectivas nações, a fazerem referência aos frutos de vossa reflexão sobre como a fé católica leva a uma justa compreensão da pessoa”.

“Mesmo que a contribuição da Igreja às grandes questões da sociedade de nosso tempo possa ser muitas vezes colocada em discussão – observou o Papa – é vital que o vosso empenho seja permeado continuamente pelos seus ensinamentos morais e sociais, para construir uma sociedade mais humana e justa”.

“As leis que vocês promulgam e aplicam – exortou o Papa – deveriam construir pontes de diálogo entre as diversas perspectivas políticas”, para “promover um maior cuidado pelos indefesos e marginalizados, especialmente os muitos que são obrigados a deixar a sua pátria, como também para favorecer uma correta ecologia humana e natural”.

“Em meio aos sofrimentos dos povos – disse Francisco – vos exorto a olhar para Cristo, cujo amor vos inspirará a fazer com que o Espírito, por meio de uma troca de dons, possa nos conduzir sempre mais à verdade e ao bem”.

Antes de conceder a sua bênção, o Papa recomendou os parlamentares a levarem em seus trabalhos profissionais “a Boa Nova de Jesus de que ninguém é insignificante, ninguém deve ser descartado, em nenhuma fase da vida”, confiando por fim as populações por eles servidas à proteção de Nossa Senhora, Mãe da Igreja.

Esta rede de parlamentares católicos (International Catholic Legislators Network) foi criada em 2010 com o apoio do Arcebispo de Viena, Cardeal Christoph Schönborn e de David Alton, membro católico da Câmara dos Lordes.

*Fonte Radio Vaticano


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Revista Diálogos do Sul

LEIA tAMBÉM

Netanyahu
Pouco há para comemorar na decisão da Corte Penal Internacional contra Netanyahu
Nationale Sozialisten,Demonstration,Recht auf Zukunft,Leipzig,17
Conluio da extrema-direita realizado em Madri é só a ponta do iceberg
EUA-fentanil
A DEA, a ofensiva contra o México, o fentanil e os mortos por incúria
Wang-Wenbin-China
China qualifica apoio dos EUA a separatismo em Taiwan como “grave violação” e exige retratação