Pesquisar
Pesquisar

Pastor fundamentalista sugere criação de botão vomitar no Facebook

Revista Diálogos do Sul

Tradução:

Dislike-Button-on-Facebook-How-to-spot-scamsCaso lhe fosse facultado o poder, o pastor fundamentalista estadunidense Pat Robertson adicionaria um botão chamado “vomitar” às páginas do sitio da rede social Facebook. A proposta foi feita durante o programa na televisão comandado por Robertson e o botão “vomitar” seria criado “para expressar repúdio a casais homossexuais que publicam fotos em seus perfis e postagens.

A declaração teria sido motivada por uma pergunta feita por um dos telespectadores, que questionou o pastor se seria pecado “curtir” fotos de casais gays. Como resposta, Robertson afirmou que “Isso me faz querer vomitar. Eu apertaria o ‘vomitar’, não ‘curtir’, mas infelizmente não existe essa opção no Facebook”.

Pat Robertson
Pat Robertson

Os comentários repercutiram em diversas redes sociais em todo mundo, causando indignação não só entre os membros da comunidade LGBTTIS, mas também entre os defensores dos direitos humanos que apontaram como inaceitável o grau de intolerância e agressividade do pastor. Também no Brasil, militantes e entidades do Movimento LGBTTIS também repudiaram a proposta e as declarações do pastor fundamentalista.

Televangelista e proprietário de uma emissora de TV, Pat Robertson é conhecido por suas frases e ideias polêmicas. Entre as mais famosas estão declarações ligadas ao islã, que ele classifica como um “sistema econômico demoníaco”. O pastor também já disse que “demônios podem se apegar a objetos” e por isso é necessário exorcizar produtos comprados de segunda mão.


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Revista Diálogos do Sul

LEIA tAMBÉM

protestos-peru
Cleptocracia, ignarocracia, bufocracia: o declínio do substantivo "democracia" no Peru
Bolivia-guerra-hibrida-eua (1)
Guerra híbrida na Bolívia entra em nova fase e EUA querem "mudança de regime" até 2025
Petro-Colombia
Petro reage a ataques de guerrilheiros contrários ao acordo de paz: "Não toleraremos"
Milei
"Barbárie" e "desequilíbrio emocional": Petro e Fernández criticam nova selvageria de Milei