Pesquisar
Pesquisar

Pesquisa de intenção de voto aponta empate técnico entre 5 candidatos à presidência no Peru

Segundo o Ipsos Peru, o candidato de centro-direita Yonhy Lescano diminui a vantagem registrada em meses anteriores
Redação Brasil de Fato
Brasil de Fato
São Paulo (SP)

Tradução:

A uma semana das eleições gerais do Peru, marcadas para o dia 11 de abril, uma pesquisa de intenção de voto aponta um empate técnico entre cinco candidatos à Presidência.

Segundo o estudo Ipsos para o jornal El Comercio, o candidato de centro-direita Yonhy Lescano (Ação Popular) se mantém em primeiro lugar com 14,7% dos votos válidos, o que indica uma queda de 6,3 pontos percentuais.

Em segundo lugar, está o economista de direita Hernando de Soto (Avança País), com 13,9% das intenções, um aumento de 8 pontos percentuais.

A candidata de esquerda Verónika Mendoza (Juntos pelo Peru) surge em terceiro lugar, com 12,4%, o que indica um aumento de 2 pontos percentuais.

Saiba+
Peru: Esquerda pode vencer com movimento popular liderado por Verónika Mendoza

Mais dois candidatos de direita seguem no empate técnico, George Forsyth (Vitória Nacional) aparece com 11,9% e Keiko Fujimori (Força Popular) tem 11,2%.

A distância entre o primeiro e o quinto lugar é de 3,5 pontos porcentuais em relação aos votos válidos. A margem de erro deste levantamento é de 2,5087% para mais ou para menos.

Ainda que Yonhy Lescano siga liderando, os candidatos George Forsyth e Rafael López Aliaga caíram nas intenções de voto em relação à pesquisa feita semanas atrás. Aliaga (Renovação Popular) aparece com 8,2%, uma queda de 3,4 pontos percentuais e uma distância de 6,5 pontos porcentuais do primeiro lugar.

Segundo o Ipsos Peru, o candidato de centro-direita Yonhy Lescano diminui a vantagem registrada em meses anteriores

Facebook | Reprodução
No próximo domingo, 11 de abril, mais de 25 milhões de peruanos estão aptos a votar nas eleições gerais

Multiplicidade de candidaturas

Ao todo são 18 candidatos à Presidência que disputam a corrida eleitoral. Na pesquisa, ainda aperecem: Pedro Castillo (Peru Livre), com 7.9%; Daniel Urresti (Podemos Per), 4.7%; César Acuña (Aliança para o Progreso), 4.2%; Alberto Beingolea (Partido Popular Cristão), 2.7%; Ollanta Humala (Partido Nacionalista Peruano), 1.9%; Julio Guzmán (Partido Morado), 1.8%; Daniel Salaverry (Somos Peru), 1.5%; José Vega (União pelo Peru), 1.0%; Marco Arana (Frente Ampla), 0.8%; Rafael Santos (Peru Patria Segura), 0.7%; Andrés Alcántara (Democracia Direta), 0.4%; e Ciro Gálvez (Renascimento Unido Nacional), 0.1%.

A pesquisa Ipsos Perú, encomendada pelo jornal El Comercio, foi realizada com 1.526 eleitores no dia 31 de março, 24 departamentos, a Província Constitucional de Callao, 54 províncias, 67 localidades e 122 distritos. E possui um nível de confiança de 95%, com uma margem de erro de 2,5%.

Mais lidas
Ilusão neoliberal de independência contribui para servidão jamais vista, diz psicanalista

No próximo domingo, 11 de abril, mais de 25 milhões de peruanos e peruanas são chamados a exercer seu direito de voto para eleger para o período 2021-2026 a nova presidência do Peru, bem como a vice-presidência e a renovação dos 130 deputados do Congresso e dos cinco representantes do Parlamento Andino.:

Candidatura de esquerda

Como a principal candidata de esquerda, está Verónika Mendoza, deputada pela região de Cusco, sua cidade natal, concorre pela aliança Juntos pelo Peru

Leia também
Peru: “É hora de eleger Verónika Mendoza e enterrar o legado de Fujimori”, diz Arturo Ayala

Com mãe francesa, estudou psicologia em Paris. Quando voltou ao Peru, aproximou-se de organizações de esquerda e foi eleita congressista em 2011. Esta é a segunda eleição presidencial que disputa; em 2016, concorreu pela Frente Ampla.

O seu programa inclui 20 medidas emergenciais para tirar o país da atual crise sanitária e econômica. Entre as propostas está a garantia de vacinação universal e gratuita contra a covid-19, a criação do Plano “Chamba” (trampo) para oferecer emprego a 200 mil jovens e apoiar pequenos empresários.

Redação Brasil de Fato

*Com informações da teleSUR e de La Mula Peru.

Edição: Vivian Fernandes


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Assista na Tv Diálogos do Sul

 

   

Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Redação Brasil de Fato

LEIA tAMBÉM

protestos-peru
Cleptocracia, ignarocracia, bufocracia: o declínio do substantivo "democracia" no Peru
Bolivia-guerra-hibrida-eua (1)
Guerra híbrida na Bolívia entra em nova fase e EUA querem "mudança de regime" até 2025
Petro-Colombia
Petro reage a ataques de guerrilheiros contrários ao acordo de paz: "Não toleraremos"
Milei
"Barbárie" e "desequilíbrio emocional": Petro e Fernández criticam nova selvageria de Milei