Pesquisar
Pesquisar

Petrópolis: Comerciantes lutam para recomeçar em meio a descaso do poder público

Após chuva do dia 15 de fevereiro, cidade voltou a sofrer novos deslizamentos e alagamentos no dia 20 de março; reconstruções demandam R$ 100 milhões
Jéssica Rodrigues
Brasil de Fato
Rio de Janeiro (RJ)

Tradução:

Os dois fortes temporais que atingiram Petrópolis, na região serrana do Rio de Janeiro, deixaram prejuízos incontáveis para os comerciantes da cidade. Os donos de estabelecimentos estavam começando a se recuperar das perdas causadas pela chuva do dia 15 de fevereiro, quando a cidade voltou a sofrer novos deslizamentos e alagamentos no dia 20 de março.

O comerciante, Eduardo Silva da Costa, trabalha na rua Washington Luiz há quase 12 anos, um dos locais mais afetados pelas fortes chuvas, e conta, em entrevista ao Seu Jornal, uma parceria da rede TVT com o Brasil de Fato, que nunca viu nada parecido com o que os dois últimos temporais causaram na região.

“Eu fui muito afetado, perdi tudo. Na [chuva] do dia 15, perdi caminhão, todo o estoque, toda a mercadoria. Agora eu estava começando a me reestabilizar, e veio essa [chuva] e acabou de derrubar os freezers, as bancas de hortifruti foram embora pela água”, lamenta.

Cláudio Fabiano Luiz também é comerciante da região e contabilizou cerca de R$ 45 mil em perdas de equipamentos e mercadorias em consequência dos dois temporais. Para ele, é necessário auxílio do poder público para os comerciantes de Petrópolis conseguirem recuperar seus negócios e cobrir os prejuízos financeiros.

Após chuva do dia 15 de fevereiro, cidade voltou a sofrer novos deslizamentos e alagamentos no dia 20 de março; reconstruções demandam R$ 100 milhões

Palácio do Planalto / Wikimedia
Segundo Sindicato do Comércio Varejista de Petrópolis, só as chuvas do dia 15 de fevereiro afetaram cerca de 300 lojas do centro da cidade

“Muita gente quer ir embora daqui, as lojas agora já não valem quase nada de aluguel. Ninguém quer permanecer aqui, mas a gente tem ponto fixo há muito tempo e criou empatia com os fregueses. A gente quer se reerguer, mas está muito difícil, estamos muito abandonados”, finaliza.

De acordo com o Sindicato do Comércio Varejista de Petrópolis (Sicomércio), só as chuvas do dia 15 de fevereiro afetaram cerca de 300 lojas do centro da cidade. A reconstrução dos estabelecimentos demandaria recurso de R$ 100 milhões, algo em torno de R$ 100 mil e R$ 200 mil por estabelecimento.

Fonte: BdF Rio de Janeiro
Edição: Mariana Pitasse


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Assista na TV Diálogos do Sul


Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:

  • PIX CNPJ: 58.726.829/0001-56 

  • Cartão de crédito no Catarse: acesse aqui
  • Boletoacesse aqui
  • Assinatura pelo Paypalacesse aqui
  • Transferência bancária
    Nova Sociedade
    Banco Itaú
    Agência – 0713
    Conta Corrente – 24192-5
    CNPJ: 58726829/0001-56

Por favor, enviar o comprovante para o e-mail: assinaturas@websul.org.br 


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Jéssica Rodrigues

LEIA tAMBÉM

Lula
Frei Betto | Para Lula, momento exige maior sintonia entre governo e movimentos sociais
Lula-RS-Brasil (2)
Nas mãos de Lula, caos no RS é sequela do bolsonarismo: desmonte ambiental e fake news
mães - palestina
Dia das Mães: algumas mães só querem a paz de presente, lembra ato pró-Palestina em Brasília
RS - inundações
Chamado à solidariedade internacionalista: inundação no RS demanda mobilização