Pesquisar
Pesquisar

Polícia israelense invade Esplanada das Mesquitas, expulsa, agride e prende palestinos

Governo e vários partidos palestinos condenaram ataques das tropas de Tel Aviv e pediram posicionamento do governo dos EUA
Redação Pátria Latina
Prensa Latina
Ramallah

Tradução:

As forças de segurança israelenses invadiram a Esplanada das Mesquitas, em Jerusalém Oriental, de onde expulsaram numerosos fiéis palestinos para permitir a entrada de colonos judeus. 

A tensão na área aumentou desde sexta-feira após o ataque de soldados à Mesquita de Al Aqsa, que faz parte daquele complexo religioso, localizado na área ocupada da cidade.

Dia da Terra Palestina: mundo pede que Israel pare derramamento de sangue

Centenas de palestinos foram feridos ou detidos durante esse ataque, que foi duramente criticado pelo mundo árabe e muçulmano.

Os policiais israelenses entraram ontem na esplanada para expulsar os palestinos ali presentes e proteger a entrada dos judeus que queriam visitar o local para celebrar a Páscoa, feriado que marca o início do êxodo daquela cidade, de acordo com suas tradições.

Governo e vários partidos palestinos condenaram ataques das tropas de Tel Aviv e pediram posicionamento do governo dos EUA

RonnyPohl – Flickr
Local sagrado é sagrado para muçulmanos, que o chamam de Esplanada da Mesquita, e para judeus, que o conhecem como Monte do Templo




Repeteco

Esta segunda-feira repetiram-se as mesmas cenas, como mostram vários vídeos que circulam nas redes sociais.

O local sagrado é reverenciado tanto pelos muçulmanos, que o chamam de Esplanada da Mesquita, quanto pelos judeus, que o conhecem como o Monte do Templo.

Para o primeiro, porque a Mesquita de Al Aqsa está dentro dela, enquanto para o segundo, porque seus dois templos bíblicos foram construídos lá.

Tanto o governo quanto vários partidos palestinos condenaram os ataques das tropas de Tel Aviv e alertaram para suas consequências.

“Consideramos o governo israelense responsável por essa escalada e pedimos ao governo dos EUA que rompa o silêncio e pare com essa agressão que vai inflamar a região”, disse Nabil Abu Rudeina, porta-voz da presidência palestina.

Israel ocupou a parte leste da metrópole na guerra de 1967, e desde então manteve o território sob seu controle apesar das resoluções do Conselho de Segurança da ONU.

Redação Prensa Latina



As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Assista na TV Diálogos do Sul



Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:

  • PIX CNPJ: 58.726.829/0001-56 

  • Cartão de crédito no Catarse: acesse aqui
  • Boletoacesse aqui
  • Assinatura pelo Paypalacesse aqui
  • Transferência bancária
    Nova Sociedade
    Banco Itaú
    Agência – 0713
    Conta Corrente – 24192-5
    CNPJ: 58726829/0001-56

       Por favor, enviar o comprovante para o e-mail: assinaturas@websul.org.br 


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Redação Pátria Latina

LEIA tAMBÉM

milei-argentina-espanha
Ataques de Milei deixam relação diplomática Espanha-Argentina na corda bamba
Ebrahim Raisi (1)
Ebrahim Raisi, Robert Fico, Prigozhin e Gaza: dois pesos e duas medidas na imprensa internacional
Paris
Da Porte de la Villette à Bastille: uma jornada pela cultura e modernidade de Paris
Prancheta 55
Reino Unido decide expulsar mais de 50 mil pessoas solicitantes de asilo para Ruanda