Pesquisar
Pesquisar

Política sem controle remoto

Revista Diálogos do Sul

Tradução:

Olavo Câmara*

olavo-camaraTodos desejam mudanças na política atual e, realmente são necessárias muitas reformas em todas as áreas e na atuação dos três poderes. O povo e as instituições reclamam, fazem duras críticas pela imprensa, em rodas de amigos e nos restaurantes, mas continuam de braços cruzados.

Sem controle remotoHá um pensamento que diz: “Política é como TV sem controle remoto”: “se você não se levantar para mudar, vai ser obrigado a assistir o que não quer!”.

Desejar mudanças e criticar apenas não resolve, é preciso ações, manifestações dentro de sistema e ordem e fazer pressões como ensinou frei Beto: “Político é igual feijão só funciona na panela de pressão”.

Todos os cidadãos de bem, que pagam corretamente os seus tributos, que primam pelo amor à Pátria devem se unir para exigir mudanças, aprender a votar corretamente, (sem voto de troca ou de favores), se tornando independente e visitar os poderes dando-lhes sugestões. Quando a sociedade do seu bairro se reunir ou as entidades te chamarem para reuniões, não deixe de comparecer para reclamar depois dos governantes.

As mudanças de comportamento, de hábitos, o combate à corrupção e o tráfico, a eliminação da criminalidade, aumento de verbas para sustentação da vida humana em todos os setores dependem de quem tem poder. E como se conquista poderes? O poder surge para alguém através de eleições e quando um cidadão se elege.

Quando eleito para o executivo ou legislativo passa a ter poderes, embora limitado, pois o político e o governante não podem tudo, mas é o início das mudanças. Os eleitores deverão agir e trocar a sua televisão  sem controle remoto por uma TV moderna, ou seja, com controle remoto.

Exija que o seu vereador, prefeito, deputado, governador, senador e presidente prestem contas das suas atividades como legislador ou governante e lhe ofereça idéias e faça sugestões. Quem fica de braços cruzados e não tem controle remoto não pode reclamar de nada e deverá assistir ao que lhe foi imposto.

Você quer mudanças? Então se levante e participe da vida em sociedade, seja no seu bairro, distrito, comunidade ou através de instituições civis que representam o povo, o eleitor e a sociedade civil. O cidadão preguiçoso que permanece sentado ou deitado no sofá em frente à televisão, sem controle remoto, terá que assistir aos programas que lhe foram impostos pela emissora de TV, gostando ou não.

Quer mudanças? Levante-se da poltrona e troque de canal. O mesmo deverá ser feito se pretende  mudanças na sociedade: saia para as ruas com propósito e propostas definidas, dê a sua contribuição, exerça a cidadania e ajude a mudar a nação, tanto para as presentes como para as futuras gerações. Tudo que se iniciar hoje se obterá resultados em longo prazo ou após décadas.

Então não espere. Lembre-se de Jesus quando ressuscitou Lázaro: Jesus disse: “Lázaro levante-se e ande”.

Faça o mesmo 

*Colaborador de Diálogos do Sul – Professor, Mestre e Doutor em Direito.


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Revista Diálogos do Sul

LEIA tAMBÉM

Lula
Frei Betto | Para Lula, momento exige maior sintonia entre governo e movimentos sociais
Lula-RS-Brasil (2)
Nas mãos de Lula, caos no RS é sequela do bolsonarismo: desmonte ambiental e fake news
mães - palestina
Dia das Mães: algumas mães só querem a paz de presente, lembra ato pró-Palestina em Brasília
RS - inundações
Chamado à solidariedade internacionalista: inundação no RS demanda mobilização