Pesquisar
Pesquisar

Porta-voz do Kremlin garante “reciprocidade” caso EUA apliquem sanções contra Rússia

Novas medidas da Casa Branca afetarão mais de 30 organizações russas e que pelo menos 10 cidadãos deste país serão expulsos dos Estados Unidos
Redação Prensa Latina
Prensa Latina
Moscou

Tradução:

A Rússia condena as aspirações estadunidenses a impor sanções e responderá a elas na base do princípio de reciprocidade, para garantir seus interesses, assegurou hoje o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov.

Condenamos qualquer aspiração a sanções, que consideramos ilegais. Em qualquer caso, o princípio de reciprocidade neste assunto é válido. Reciprocidade para que possamos velar melhor por nossos interesses”, disse Peskov, segundo a agência de notícias TASS.

Leia também
EUA terão que aceitar que Rússia irá cooperar apenas com temas de nosso interesse, diz Putin

O chefe da oficina de imprensa da Presidência russa considerou como um “provável vazamento” as informações de meios de comunicação estadunidenses que advertem sobre possíveis novas sanções contra a nação euroasiática por parte de Washington que, se espera, sejam dadas a conhecer nesta quinta-feira.

“Está claro que não há fumaça sem fogo, e o mais provável é que estejamos falando de algum tipo de vazamento para os jornais estadunidenses. Não comentaremos ainda as informações da imprensa. Esperaremos para ver se anunciam alguma decisão específica oficial“, acrescentou.

Novas medidas da Casa Branca afetarão mais de 30 organizações russas e que pelo menos 10 cidadãos deste país serão expulsos dos Estados Unidos

Wikipedia
Dmitri Peskov advertiu que sanções não facilitarão uma reunião entre Vladimir Putin e Joseph Biden.

Sanções dos EUA não contribuem

Peskov advertiu que em caso de novas sanções estadunidenses, estas não facilitarão uma reunião entre os presidentes da Rússia, Vladimir Putin, e dos Estados Unidos, Joseph Biden.

“O fato de que as prováveis sanções não contribuirão de nenhuma maneira para tal reunião é inequívoco”, enfatizou.

Leia também
Governo Biden declara Rússia como ameaça para todos os aliados da OTAN, inclusive os EUA

Antes, o meio de comunicação estadunidense Bloomberg, especializado em temas financeiros, indicava que as novas medidas contra Moscou incluirão restrições relacionadas à dívida soberana da Rússia.

A emissora de televisão CBS comentou na véspera que as novas sanções da Casa Branca afetarão mais de 30 organizações russas e que pelo menos 10 cidadãos deste país serão expulsos dos Estados Unidos. O canal CNN indicou que, segundo sua informação, os diplomatas russos expulsos de Washington e Nova York terão 30 dias para sair do país.

Prensa Latina, especial para Diálogos do Sul — Direitos reservados.

Tradução: Ana Corbisier


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Assista na Tv Diálogos do Sul

 

   

Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Redação Prensa Latina

LEIA tAMBÉM

Palestina-EUA-Israel
EUA tentam se safar! Israel usa, sim, armas estadunidenses para matar palestinos em Gaza
Bandeira-Geórgia
Geórgia: lei sobre “agentes estrangeiros” aumenta tensão entre governo e oposição
Design sem nome - 1
Mortes, prisões e espionagem: jornalista palestina escancara ‘apartheid’ de Israel
Trump
À frente em 5 estados-chave, Trump tira de Biden eleitores historicamente democratas