Pesquisar
Pesquisar

Precisamos resistir a esse sistema que nos divide para governar, diz filha de Víctor Jara

“Seria presunção dizer que passei a vida lutando, mas levo uma vida inteira com a consciência clara de que não se pode deixar de lutar”
Redação Diálogos do Sul
Diálogos do Sul
São Paulo (SP)

Tradução:

* Atualizado em 31/08/2023 às 12h10.

O mês de setembro, coincidentemente, marca dois aniversários do cantor, professor e poeta Victor Jara: O de nascimento e morte, em 1932. 

Para rememorar esse personagem tão icônico da história chilena, o músico e ativista cultural Danilo Nunes em 2017 recebeu sua filha, Amanda Jara, que administra a fundação com o nome do músico, para falar sobre a resistência na América Latina.

“Os povos precisam se unir para lutar porque existe uma oligarquia econômica que  possui sempre o afã de depredar a nossa terra. Precisamos resistir a esse sistema que nos divide para governar”, defende Amanda, que tinha apenas oito anos quando perdeu o pai para a ditadura militar no Chile.

“Seria presunção dizer que passei a vida lutando, mas levo uma vida inteira com a consciência clara de que não se pode deixar de lutar”

Fundacion Victor Jara
Amanda Jara: "O momento de destruição chegou num nível tão grande, mas tão grande, que os povos estão acordando e se ‘irmanando’”

Questionada sobre o fato de que, de tempos em tempos, a América Latina vive uma espécie de “círculo de ódio”, Amanda ressaltou a importância da resistência chilena nos últimos anos e fez um apelo por união no continente.

Leia também: Como Paulo Freire, voz de Victor Jara vai continuar ecoando em defesa aos direitos humanos

“É um momento de união e resistência, porque o momento de destruição chegou num nível tão grande, mas tão grande, que os povos estão acordando e se ‘irmanando’”, explica e acrescenta que “seria uma presunção dizer que passei a vida lutando, mas levo uma vida inteira com a consciência clara de que não se pode deixar de lutar”, diz.

Confira:

Danilo Nunes | Músico, ator, historiador e pesquisador de cultura popular brasileira e latino-americana.


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul.


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Redação Diálogos do Sul

LEIA tAMBÉM

protestos-peru
Cleptocracia, ignarocracia, bufocracia: o declínio do substantivo "democracia" no Peru
Bolivia-guerra-hibrida-eua (1)
Guerra híbrida na Bolívia entra em nova fase e EUA querem "mudança de regime" até 2025
Petro-Colombia
Petro reage a ataques de guerrilheiros contrários ao acordo de paz: "Não toleraremos"
Milei
"Barbárie" e "desequilíbrio emocional": Petro e Fernández criticam nova selvageria de Milei