Pesquisar
Pesquisar

Prêmio Juscelino Kubitschek do BID

Revista Diálogos do Sul

Tradução:

496 organizações de 28 países latino-americanos, caribenhos e europeus candidataram-se ao Prêmio Juscelino Kubitschek

PREMIOO Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) anunciou que três instituições de Barbados, Brasil e Nicarágua ganharam o Prêmio Juscelino Kubitschek, que reconhece as contribuições de destacados atores em economia e finanças, bem como nos campos cultural, social e científico.

Associação de Ballet e Artes para Cegos do Brasil e o Instituto Nicaraguense de Cultura Hispânica da Nicarágua ganharam na categoria Social, Cultural e Científica para a qual foram recebidas 388 candidaturas. Na categoria de Economia e Finanças inscreveram-se 108 propostas: o ganhador foi o Caribbean Center of Excellence for Youth Entrepreneurship de Barbados.

O anúncio dos ganhadores esteve a cargo da Comissão Selecionadora do prêmio, que leva o nome de um presidente brasileiro que impulsionou seu país e promoveu a fundação do BID, o primeiro banco regional de desenvolvimento do mundo.

O critério para selecionar os ganhadores na categoria Economia e Finanças baseou-se em projetos de impulso empresarial na juventude. Na segunda categoria, a Comissão levou em conta as atividades de fortalecimento e impulso cultural e social.

A terceira edição do prêmio, concedido a cada dois anos, atraiu 496 candidaturas de organizações, representando 28 países das Américas e Europa. Para cada categoria há um prêmio de US$ 100.000; quando existe mais de um ganhador por área, divide-se em partes iguais. A entrega dos prêmios será realizada em março na Bahia, Brasil, durante a Reunião Anual da Assembleia de Governadores do BID.

Presidida pelo Presidente do BID, Luis Alberto Moreno, a Comissão Selecionadora reuniu-se em Washington em 18 e 19 de novembro. O Secretário-Geral Ibero-Americano, Enrique V. Iglesias, atuou como secretário da Comissão. Foram membros neste ano o ex-presidente do Equador, Osvaldo Hurtado, o ex-governador do Novo México, Bill Richardson, o atual governador do Banco de España, Luis Maria Linde, o ex-diplomata das Nações Unidas Paulo Pinheiro, o presidente do Banco Japonês para a Cooperação Internacional, Hiroshi Watanabe, a ex-ministra de Relações Exteriores e Comércio de Barbados, Billie Miller, a escritora mexicana Angeles Mastretta, a escritora nicaraguense Gioconda Belli e, da Colômbia, o assessor da presidência da Fundação Avina, Bernardo Toro.

Sobre os ganhadores

Associação de Ballet e Artes para Cegos, Brasil
Instituto Nicaragüense de Cultura Hispánica, Nicarágua
Caribbean Center of Excellence for Youth Entrepreneurship, Barbados

Nesta ocasião a Comissão Selecionadora decidiu entregar menções de honra a quatro organizações em reconhecimento da excelência em seu trabalho. As menções na área de economia e finanças foram outorgadas a Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Brasil) e Consorcio de Investigación Económica y Social (Peru). Na área social, cultural e científica ao Comitê para Democratização da Informática (Brasil) e Cauce Ciudadano (México).


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Revista Diálogos do Sul

LEIA tAMBÉM

protestos-peru
Cleptocracia, ignarocracia, bufocracia: o declínio do substantivo "democracia" no Peru
Bolivia-guerra-hibrida-eua (1)
Guerra híbrida na Bolívia entra em nova fase e EUA querem "mudança de regime" até 2025
Petro-Colombia
Petro reage a ataques de guerrilheiros contrários ao acordo de paz: "Não toleraremos"
Milei
"Barbárie" e "desequilíbrio emocional": Petro e Fernández criticam nova selvageria de Milei