Pesquisar
Pesquisar

Presidente do Uruguai afasta comandante do Exército por cobrir crimes da ditadura

Mais de 40 membros das forças armadas foram investigados após serem acusados ​​de crimes contra os direitos humanos
Redação Sputnik Brasil
Sputnik Brasil
Rio de Janeiro (RJ)

Tradução:

O presidente do Uruguai removeu do cargo nesta segunda-feira (1) o comandante do Exército por encobrir que um membro da reserva militar que cometeu crime durante a ditadura de 1973-1985.

O presidente Tabaré Vazquez demitiu o general José González e outros cinco generais. González estava no emprego havia apenas duas semanas e substituíra o general Guido Manini Rios.

Vazquez retirou Manini Rios no mês passado depois do militar questionar como os tribunais locais lidaram com casos envolvendo membros do Exército acusados de violações dos direitos humanos na época da ditadura.

A última crise começou depois que relatos mostraram que, em uma corte de honra do Exército, um membro militar aposentado admitiu ter jogado o corpo de um guerrilheiro esquerdista Tupamaru em um rio em 1973. 

González e outros membros do tribunal não informaram o Exército ou a promotoria. 

Mais de 40 membros das forças armadas foram investigados após serem acusados de crimes contra os direitos humanos. Alguns militares idosos morreram na prisão.

Centenas foram presos e torturados durante a ditadura. Estima-se que 192 vítimas tiveram seus corpos desaparecidos. 


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Redação Sputnik Brasil

LEIA tAMBÉM

protestos-peru
Cleptocracia, ignarocracia, bufocracia: o declínio do substantivo "democracia" no Peru
Bolivia-guerra-hibrida-eua (1)
Guerra híbrida na Bolívia entra em nova fase e EUA querem "mudança de regime" até 2025
Petro-Colombia
Petro reage a ataques de guerrilheiros contrários ao acordo de paz: "Não toleraremos"
Milei
"Barbárie" e "desequilíbrio emocional": Petro e Fernández criticam nova selvageria de Milei