Pesquisar
Pesquisar

PSOL pede no STF prisão preventiva, apreensão de passaporte e quebra de sigilos de Bolsonaro

No último dia 30 de dezembro, o agora ex-mandatário abandonou o país e foi para os EUA, sem passagem ou previsão de retorno
Redação Brasil de Fato
Brasil de Fato
São Paulo (SP)

Tradução:

A bancada do PSOL na Câmara dos Deputados protocolou um pedido de prisão preventiva do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), na manhã desta segunda-feira (2), no Supremo Tribunal Federal (STF), em Brasília (DF).

A petição foi protocolada no âmbito de uma ação que já está no STF, sobre Bolsonaro ter propagado notícias falsas a respeito das urnas eletrônicas, enaltecido a ditadura militar e estimulado um golpe de Estado no país. A Corte apura se as iniciativas do ex-presidente cooperaram para os atos antidemocráticos que se espalharam pelo país após a eleição.

“É preciso ressaltar, infelizmente, o histórico de disseminação de fake news, com intuito golpista, do ex-presidente Bolsonaro: ele, desde o início da sua Presidência, vem arquitetando o atual cenário que vivemos”, afirmam os parlamentares no corpo da ação.

Em outro trecho, os deputados federais afirmam que a postura de Bolsonaro “de atacar as instituições responsáveis pelo processo eleitoral somada a completa ausência de uma declaração dirigida a seus apoiadores reconhecendo sua derrota no pleito demonstram de maneira inconteste que Jair Messias Bolsonaro está deliberadamente mantendo sua base radicalizada ativa, o que culminou em diversos atos criminosos e terroristas ao redor do Brasil, configurando uma verdadeira organização criminosa contra a democracia.”

Queiroz, sigilos e interferências: 7 vezes em que Bolsonaro atuou contra combate à corrupção

Na ação, os parlamentares do PSOL pedem, também, a apreensão de documentos e do passaporte de Bolsonaro, além da quebra de sigilo telemático e telefônico do ex-presidente.

O documento é assinada por Juliana Medeiros, presidente do PSOL, e Sâmia Bomfim (PSOL-SP), Fernanda Melchionna (PSOL-RS), Ivan Valente (PSOL-SP), Áurea Carolina (PSOL-MG), Glauber Braga (PSOL-RJ), Guilherme Boulos (PSOL-SP), Talíria Petrone (PSOL-RJ), Luiza Erundina (PSOL-SP), Erika Hilton (PSOL-SP)Célia Xakriabá (PSOL-MG), entre outros.

No último dia 30 de dezembro, o agora ex-mandatário abandonou o país e foi para os EUA, sem passagem ou previsão de retorno

Flickr
Há um temor de que Bolsonaro seja alvo de um mandado de prisão expedido por Alexandre de Moraes, ministro do STF.




EUA

No dia 30 de dezembro do ano passado, Jair Bolsonaro, ainda presidente do Brasil, abandonou o país e foi para os EUA, sem passagem ou previsão de retorno. Em seu entorno, há um temor de que ele seja alvo de um mandado de prisão expedido por Alexandre de Moraes, ministro do STF.

Entre os bolsonaristas, há também o receio de que o governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) exponha os possíveis crimes cometidos pela gestão do ex-presidente e que Bolsonaro e seus filhos se tornem um alvo fácil para a Justiça brasileira.

Redação | Brasil de Fato
Edição: Glauco Faria


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Assista na TV Diálogos do Sul


Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Redação Brasil de Fato

LEIA tAMBÉM

Lula
Frei Betto | Para Lula, momento exige maior sintonia entre governo e movimentos sociais
Lula-RS-Brasil (2)
Nas mãos de Lula, caos no RS é sequela do bolsonarismo: desmonte ambiental e fake news
mães - palestina
Dia das Mães: algumas mães só querem a paz de presente, lembra ato pró-Palestina em Brasília
RS - inundações
Chamado à solidariedade internacionalista: inundação no RS demanda mobilização