Pesquisar
Pesquisar

PT e CUT convocam Brasil a sair às ruas pela queda dos juros; atos começam nesta sexta (16)

O país quer crescer, gerar empregos e oportunidades. Estamos com Lula nessa luta", afirma Gleisi Hoffmann em vídeo publicado nesta quarta (14)
Ivan Longo
Revista Fórum
São Paulo (SP)

Tradução:

O Partido dos Trabalhadores (PT) e a Central Única dos Trabalhadores (CUT) iniciam, a partir da sexta-feira (16) em cidades de todo o país, uma jornada de mobilizações, que vai até 2 de julho, para pressionar a atual diretoria do Banco Central (BC) a baixar a taxa básica de juros (Selic), que atualmente está em estratosféricos 13,75% – trata-se da maior taxa de juros do mundo.

Continua após o banner

O governo Lula, através do próprio presidente e de seus ministros, têm feito desde janeiro recorrentes críticas ao atual presidente do BC, Roberto Campos Neto, por manter a taxa de juros em patamar tão elevado, visto que a inflação está controlada e outros indicadores econômicos viabilizam a redução. A queda da Selic é considerada vital para que o país volte a prosperar na economia e medidas que vêm sendo adotadas pela administração federal já estão apontando para um futuro mais promissor.

Leia também: Desmantelar a casa-grande cabe além do atual governo: é preciso mobilização popular

Através de um vídeo divulgado nas redes sociais, a presidenta nacional do PT, deputada federal Gleisi Hoffmann, destacou decisões do governo Lula que já vêm surtindo efeitos positivos na economia brasileira, convocando a população às ruas para lutar pela queda da taxa de juros, fator fundamental para que os bons indicadores econômicos sejam garantidos. 

“Todo mundo está percebendo o esforço do nosso governo em melhorar a vida do povo. O preço dos combustíveis e do gás de cozinha já caiu, porque o presidente Lula mudou a política da Petrobras. Não tem mais aquela coisa maluca de cobrar em dólar por uma gasolina que é produzida no Brasil. O preço dos alimentos e a conta do supermercado também está parando de subir e vai melhorar porque o governo voltou a apoiar a agricultura familiar, camponesa e o pequeno agricultor, que põe comida na mesa do povo. E também está incentivando a indústria, com redução de impostos para aumentar as vendas e garantir empregos. Começa agora pela volta do carro popular e renovação da frota de ônibus e caminhões”, detalha a dirigente partidária.

O país quer crescer, gerar empregos e oportunidades. Estamos com Lula nessa luta", afirma Gleisi Hoffmann em vídeo publicado nesta quarta (14)

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil
Centrais Sindicais protestam contra juros altos em frente ao prédio do Banco Central, na Avenida Paulista, em São Paulo (SP) – 21/03/2023

Gleisi chama atenção, entretanto, que a para que “a roda da economia” volte de fato e a “girar”, “é necessário mudar a política de juros, absurdamente altos, que é uma verdadeira trava para o investimento e o crédito das pessoas e empresas”.

“A maior taxa de juros do planeta foi imposta ao país pela diretoria do Banco Central, indicada pelo Bolsonaro, e que só vai sair no ano que vem. Todos os indicadores econômicos provam que os juros já deviam ter caído há muitos meses. A inflação está diminuindo e o dólar também. Mas o Banco Central bolsonarista insiste em manter a taxa nas alturas, sabotando o Brasil. É para mudar essa situação que estamos convocando a sociedade brasileira para um movimento amplo contra os juros altos”, afirma a presidenta do PT.

Na próxima sexta-feira (16) serão realizados atos, caminhadas, panfletagens e reuniões. Já nos dias 20 e 21 de junho ocorrerão manifestações em em cidades onde há sedes do BC. Em São Paulo (SP), o ato será às 10h, na Avenida Paulista, n° 1.804 (prédio do BC).

“O tempo de Bolsonaro e do Brasil pequeno já passou. O país quer crescer, gerar empregos e oportunidades. Vamos lá. Contra os juros altos e pelo desenvolvimento. Estamos com Lula nessa luta”, finaliza Gleisi.

Veja o vídeo da convocatória:

Ivan Longo | Revista Fórum


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Assista na TV Diálogos do Sul


Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Ivan Longo

LEIA tAMBÉM

Lula
Frei Betto | Para Lula, momento exige maior sintonia entre governo e movimentos sociais
Lula-RS-Brasil (2)
Nas mãos de Lula, caos no RS é sequela do bolsonarismo: desmonte ambiental e fake news
mães - palestina
Dia das Mães: algumas mães só querem a paz de presente, lembra ato pró-Palestina em Brasília
RS - inundações
Chamado à solidariedade internacionalista: inundação no RS demanda mobilização