Pesquisar
Pesquisar

Redução dos efeitos do carbono: empresa russa desenvolve motores de avião com propulsão a hidrogênio

São duas opções para usar hidrogênio: queimar gás em um motor e criar celas de combustível, onde o hidrogênio reage com o oxigênio para formar energia elétrica, liberando vapor de água no ar
Redação Prensa Latina
Prensa Latina
Moscou

Tradução:

A corporação estatal russa Rostec anunciou no salão da aeronáutica MAKS 2021 que começou o desenvolvimento de motores de avião e centrais e energia para uso em terra à base de hidrogênio. 

Nos últimos dois meses, a corporação dedicada à promoção do desenvolvimento, produção e exportação de produtos industriais de alta tecnologia para os setores civis e de defesa formou um grupo de trabalho do projeto.

Sua implementação será levada a cabo em conjunto com institutos científicos e industriais, assim como com organizações com experiência prática no uso de combustível de hidrogênio, salientou Rostec, segundo a agência de notícias TASS.

São duas opções para usar hidrogênio: queimar gás em um motor e criar celas de combustível, onde o hidrogênio reage com o oxigênio para formar energia elétrica, liberando vapor de água no ar

Rostec
O uso de combustível de hidrogênio é uma das áreas mais promissoras para reduzir os efeitos do carbono na aviação

Redução dos efeitos do carbono na aviação

O responsável geral do projeto na corporação, Yuri Shmótin, explicou que o uso de combustível de hidrogênio é uma das áreas mais promissoras para reduzir os efeitos do carbono na aviação e na indústria do petróleo e do gás.

EUA reconhecem perda de superioridade para Rússia e China no espectro eletromagnético

A empresa russa assinalou que há duas opções para usar hidrogênio: queimar gás em um motor e criar celas de combustível, onde o hidrogênio reage com o oxigênio para formar energia elétrica, liberando vapor de água no ar.

A Rússia aspira converter-se em um dos líderes mundiais na produção e exportação de hidrogênio, disse há poucos dias o vice-primeiro-ministro Alexander Novak.

Por sua parte, o titular do Ministério de Industria e Comércio, Denis Manturov, reconheceu que o hidrogênio seria o futuro mais próximo do transporte, tema que é analisado no país como parte de seus projetos de desenvolvimento até 2030.

Prensa Latina, especial para Diálogos do Sul — Direitos reservados.

Tradução: Beatriz Cannabrava


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Assista na Tv Diálogos do Sul

Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Redação Prensa Latina

LEIA tAMBÉM

crise-humanitaria-iemen
“Economia inclusiva” é hipocrisia do FMI para preservar capitalismo frente à desigualdade global
Mercado de Sucre, na Bolívia
Por que alimentos no Brasil estão caros e na Bolívia, baratos? Segredo está no pequeno produtor
Javier_Milei_and_Santiago_Abascal_(cropped)
Superávit de Milei é ilusionismo contábil: a verdade sobre a economia Argentina
Desigualdade_FMI_Banco-Mundial
Em Washington, Brasil adverte: FMI e BM seguem privilegiando EUA e outros países poderosos