Pesquisar
Pesquisar

Rússia: Ameaça da Ucrânia de "matar russos em qualquer parte do mundo" terá resposta

"Temos serviços especiais que farão o que for necessário no contexto de tais declarações", afirmou o porta-voz russo Dmitry Peskov
Redação Sputnik Brasil
Sputnik Brasil

Tradução:

O porta-voz do presidente russo, Dmitry Peskov, descreveu como monstruosas as palavras do chefe da Diretoria Principal de Inteligência do Ministério da Defesa da Ucrânia, Kirill Budanov, sobre a disposição para matar cidadãos russos “em qualquer parte do mundo”.

“Em primeiro lugar, isso é realmente uma declaração monstruosa. Em segundo, esta declaração, feita pelo Budanov, é uma confirmação direta de que o regime de Kiev não está apenas patrocinando atividades terroristas, mas é um organizador direto dessas atividades”, disse ele.

Continua após o banner

Segundo o porta-voz russo, isso dá ao regime de Kiev outra avaliação importante.

Condenamos fortemente tais declarações. Temos serviços especiais que farão o que for necessário no contexto de tais declarações. Ninguém deve ter dúvidas sobre isso”, acrescentou Peskov.

Além disso, Moscou monitorará de perto a reação das capitais europeias, e especialmente de Washington, disse ele.

“Pois é muito difícil imaginar que tais declarações terroristas de Kiev possam ficar sem ser condenadas. Então, hoje vamos esperar por essas condenações”, disse o secretário de imprensa.

As palavras de Budanov confirmam mais uma vez a correção da decisão do presidente da Rússia de lançar uma operação militar especial, enfatizou Peskov.

No outro dia, o chefe da Diretoria Principal de Inteligência (GUR na sigla em ucraniano), respondendo em entrevista ao Yahoo News sobre o possível envolvimento de Kiev no assassinato de Daria Dugina, declarou : “temos matado e vamos continuar a matar russos em qualquer parte do mundo até a vitória completa da Ucrânia”.

Por sua vez, a representante oficial do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, considerou esta declaração como uma admissão de que a administração dos EUA patrocina o terrorismo.



Redação | Sputnik Brasil


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Assista na TV Diálogos do Sul


Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.

Redação Sputnik Brasil

LEIA tAMBÉM

4 - Iryna Borovets 2
Vice-chanceler da Ucrânia diz que país deseja paz, mas insiste em adesão à Otan
emmanuel-macron-olaf-scholz (2)
Apoio inconsequente de Macron e Sholz à Ucrânia foi crucial ao avanço da extrema-direita na UE
Europa
Cabe ao Parlamento Europeu uma frente ampla para frear a extrema-direita
Putin - Fórum de São Petersburgo
Fórum de São Petersburgo: 3 sinais sobre a iminência da era multipolar