Pesquisar
Pesquisar

Sábado Resistente debate história da Ação Popular

João Baptista Pimentel Neto

Tradução:

unnamed
Anivaldo Padilha. Foto: Milton Bellintani/Núcleo Memória

Mesa com Anivaldo Padilha, Duarte Pereira e Marcelo Ridente discutirá contribuição da Ação Popular à história da esquerda brasileira

A Ação Popular (AP), organização que teve sua origem nas lutas das comunidades cristãs ainda antes do golpe civil-militar de 1964, formou centenas de militantes de esquerda e participou ativamente da luta contra a ditadura e pela redemocratização do país. Por sua atuação decidida, foi duramente reprimida, teve militantes e dirigentes presos, torturados, mortos e desaparecidos. Marcou a história da esquerda brasileira de forma definitiva.

Para dar início no Memorial da Resistência aos atos que marcam os 50 anos do golpe que instalou a ditadura civil-militar em nosso país, este Sábado Resistente debaterá a história da organização, fundamental para se entender a esquerda brasileira no passado e no presente, e lembrará aqueles que deram suas vidas na luta pela construção de um país livre e soberano.
 
PROGRAMAÇÃO

14h: Boas vindas – Karina Teixeira (Memorial da Resistência de São Paulo)
 Coordenação – Ivan Seixas (Coordenador da Comissão da Verdade Estadual Rubens Paiva da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo)
 
14h30: PALESTRAS

– Anivaldo Padilha (Assessor da Comissão Nacional da Verdade e militante da Ação Popular)
– Duarte Pereira (jornalista e professor, dirigente da Ação Popular)
– Marcelo Ridente (professor de Sociologia do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Estadual de Campinas, pesquisador do CNPQ e autor de várias obras sobre a militância de esquerda contra a ditadura)
 
16h: DEBATE

Os Sábados Resistentes, promovidos pelo Memorial da Resistência de São Paulo e pelo Núcleo de Preservação da Memória Política, são um espaço de discussão entre militantes das causas libertárias, de ontem e de hoje, pesquisadores, estudantes e todos os interessados no debate sobre as lutas contra a repressão, em especial à resistência ao regime civil-militar implantado com o golpe de Estado de 1964. Os Sábados Resistentes têm como objetivo maior o aprofundamento dos conceitos de Liberdade, Igualdade e Democracia, fundamentais ao Ser Humano.

As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
João Baptista Pimentel Neto Jornalista e editor da Diálogos Do Sul.

LEIA tAMBÉM

Javier_Milei
Milei bloqueia 5 mil ton de comida, deixa mais pobres com fome e inflama revolta na Argentina
Héctor Llaitul
Sem provas, justiça do Chile condenou líder mapuche Héctor Llaitul em prol de madeireiras
protestos-peru
Cleptocracia, ignarocracia, bufocracia: o declínio do substantivo "democracia" no Peru
Bolivia-guerra-hibrida-eua (1)
Guerra híbrida na Bolívia entra em nova fase e EUA querem "mudança de regime" até 2025