Pesquisar
Pesquisar

"Sanções alimentam incêndio", dizem artistas e intelectuais a Biden por fim do bloqueio a Cuba

Intelectuais, políticos, artistas e outras personalidades pedem a Biden o fim das sanções contra Cuba
Redação Cubadebate
Cubadebate
Havana

Tradução:

Roger Waters, Cornel West, Judith Butler, Noam Chomsky, Roxanne Dunbar-Ortiz, Jeremy Corbyn, Rev. Liz Theoharis, Seun Kuti, Vijay Prashad, entre outras personalidades, pediram o fim das sanções a Cuba em uma carta aberta dirigida ao presidente estadunidense Joe Biden, datada em 9 de agosto, e publicada em Let Cuba Alive.

Na carta, os signatários afirmaram que “é hora de escrever uma nova página nas relações entre Estados Unidos e Cuba”.

“Apesar das palavras de condolência e da oferta de assessoramento técnico, o Governo dos Estados Unidos fez muito pouco para ajudar o povo de Cuba em seu momento de maior necessidade. Desafortunadamente, as sanções estadunidenses alimentam os incêndios que golpeiam Cuba!”, dizem.

A carta insiste na necessidade de levantar todas as sanções que impedem que Cuba, direta ou indiretamente, receba ajuda médica, humanitária e ambiental, assistência financeira e de outros tipos, de organizações estadunidenses e de outras nações.

Uma das medidas propostas é eliminar Cuba da Lista de Estados Patrocinadores do Terrorismo.

Os signatários pedem a Biden para articular-se imediatamente com as agências estadunidenses para fornecer a assistência direta e urgente que Cuba solicita.

A seguir, confira o texto da carta traduzido:

Intelectuais, políticos, artistas e outras personalidades pedem a Biden o fim das sanções contra Cuba

Presidencia Cuba
"Quando a casa de seu vizinho está em chamas, a reação humana normal é correr para lá para ajudar"

Prezado presidente Joe Biden,

9 de agosto de 2022

Agora mais do que nunca, é hora de escrever uma nova página nas relações entre Estados Unidos e Cuba. Fazemos ao senhor um apelo público urgente para que rejeite as cruéis políticas implementadas pela Casa Branca de Trump que já criaram tanto sofrimento para o povo cubano.

Sexta-feira, 5 de agosto, uma importante instalação de armazenamento de petróleo em Matanzas, Cuba, a 65 milhas a leste de Havana, foi alcançada por um raio. Desde então, um enorme incêndio está causando estragos. Esta tremenda explosão e o fogo difícil de controlar deixaram várias pessoas desaparecidas (inclusive bombeiros), muitos feridos com queimaduras graves e centenas de outras evacuadas de suas casas.

Este incêndio, o maior na história de Cuba, ocorre quando o país atravessa uma crise energética devido ao aumento dos custos mundiais do combustível e do envelhecimento da infraestrutura. Este incêndio no tanque de petróleo, sem dúvida, agravará ainda mais os cortes de energia elétrica que sofrem os cubanos durante este caloroso verão. Os recursos que o governo se verá obrigado a alocar na resposta a desastres também terão um impacto negativo no bem estar geral dos cubanos em meio às sanções impostas pela Administração Trump e que continuam na sua.

Apesar das palavras de condolência e da oferta de assessoramento técnico, o Governo dos Estados Unidos fez muito pouco para ajudar o povo de Cuba em seu momento de maior necessidade. Desafortunadamente, as sanções estadunidenses alimentam os incêndios que golpeiam Cuba! Apesar das garantias da embaixada dos Estados Unidos em Havana de que a lei autoriza entidades e organizações estadunidenses a dar ajuda e resposta em caso de desastres, as 243 sanções de Trump continuam impedindo que chegue a Cuba a ajuda de que necessita com urgência.

Quando a casa de seu vizinho está em chamas, a reação humana normal é correr para lá para ajudar. Para salvar vidas. Para extinguir as chamas. Cuba é nosso vizinho! É cruel, especialmente durante um trágico acidente, bloquear as remessas e o uso de instituições financeiras globais a Cuba, dado que o acesso a dólares é necessário para importar alimentos e remédios.

O tempo é a essência. A Administração deve levantar todas as sanções que impedem que Cuba, direta ou indiretamente, receba ajuda médica, humanitária e ambiental essencial, ou receba assistência financeira e de outros tipos, de outras nações ou organizações nos EUA. O que inclui eliminar Cuba da Lista de Estados Patrocinadores do Terrorismo. Também apelamos para que se articule imediatamente com as agências estadunidenses pertinentes para fornecer a assistência direta e urgente que Cuba solicita.

Sinceramente,

Brian Becker
Cindy Weisner
Claudia De la Cruz
Cornel West
David Adler
David Harvey
Gabriel Rockhill
Gail Walker
Gerald Horne
Gina Belafonte
Helen Yaffe
Jennifer Ponce De Leon
Jeremy Corbyn
Jia Hong
Jodie Evans
Judith Butler
Rev. Liz Theoharis
Manolo De Los Santos
Manu Karuka
Noam Chomsky
Phillip Agnew
Robin D.G. Kelly
Roger Waters
Roxanne Dunbar-Ortiz
Ruth Wilson Gilmore
Salvatore Engel-Di Mauro
Seun Kuti
Vijay Prashad
Yasemin Zahra

Redação Cubadebate
Tradução: Ana Corbisier.


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Assista na TV Diálogos do Sul



Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.

LEIA tAMBÉM

Venezuela-acordo (3)
Acordo de respeito às eleições entre Maduro e oposição é marco histórico para Venezuela
Rússia-Coreia-do-Norte2
Putin: Aliança com Coreia do Norte não deve preocupar, a menos que um de nós seja atacado
ngel Víctor Torres
Abandono da memória histórica deu espaço à ultradireita na UE, afirma ministro espanhol
Pierre-Yevenel-Stephan
Pierre Stephan: conheça o primeiro ginasta do Haiti a disputar as Olimpíadas em 124 anos