Pesquisar
Pesquisar

Semana de Cinema dos Povos Indígenas

João Baptista Pimentel Neto

Tradução:

SEMANA-CINE-PUEBLOS-INDÍGENAS-MENDOZA-LA-NACIÓN-OCULTA-ESCENA-DE-RODAJE-3O Festival acontecerá de 21 a 27 de julho e apresentará filmes de temática indígena da Argentina e de toda a América Latina. Também acontecerão encontros com diretores, debates e shows.

O Ministério da Cultura da Nação anunciou os ganhadores da 1.° Convocatória de Cineastas Latino-Americanos para participar da Semana de Cinema dos Povos Indígenas em Mendonza e San Juan (AR).
A Semana de Cinema dos Povos Indígenas oferece um panorama atual sobre aspectos culturais, sociais, econômicos e políticos dos povos originários da América Latina e promovera um encontro para reflexão sobre este tema.
A Semana de Cinema dos Povos Indígenas é organizada pela Direção Nacional de Promoção dos Direitos e Diversidade Culturais do Ministério da Cultura da Nação Argentina em parceria com comunidades indígenas, ol Ministério da Cultura da Província de Mendoza, o Ministério de Desenvolvimento Humano e Promoção Social e Diretoria de Políticas para a Igualdade e Desenvolvimento Social da Província de San Juan. Conta ainda com apoio da Coordenadoria de Comunicação Audiovisua Indígena da Argentina (CCAIA) y de seu presidente, o historiador indígena Qom Juan Chico (autor do livro La masacre de Napalpí).
Com entrada livre e gratuita serão exibidas mais de 20 produções entre documentários, ficções, animações e filmes experimentais de realizadores indígenas da Argentina, Brasil, Bolivia, Chile, México, Venezuela, Colombia y Guatemala, dentre as quais 13 foram selecionas através da convocatória aberta a participação de realizadores de toda a América Latina.
Confira a programação completa
Veja os filmes que foram escolhidos:
– BUSCANDO AL COMANDANTE ANDRESITO, de Camilo Gómez Montero (Argentina, 2012).
– DONDE NACE EL SOL, de Elías Jiménez Trachtenberg (Guatemala, 2012).
– EL DÍA DE LAS COMADRES, de Wanda López Trelles (Argentina, 2013).
– ESPERANZA DEL ORIENTE, de Patricia Albornoz Ramírez (Chile-Bolivia, 2013).
– FLOR BRILLANTE Y LAS CICATRICES DE LAS PIEDRAS, de Jade Rainho (Brasil, 2013).
– MUJERES DE TIERRA, de Maryoli Ceballos, Nathaly Velasco, Byron Pergüeza y Huber Mora (Colombia, 2012).
– UMA CASA, UMA VIDA, de Edu Yatri Ioschpe, Rodrigo Soares y Alexandre Lemos (Brasil, 2014).
– HISTORIA Y ESPERANZA DE UN PUEBLO, de Genaro Castro (Colombia, 2014).
– JNICHIMTAKTIK, NUESTRAS FLORES, de Mónica Parra (México, 2012).
– NAPONAXAC, de Rosario Haddad (Argentina, 2013).
– EL ENCIERRO, de Emanuel Rojas (Venezuela, 2012).
– EN LA PUNA, de Lucas Riselli (Argentina, 2013).
– EL RESPETO, de Norma Fernández (Argentina, 2013).
Também estes outros filmes serão exibidos na segunda fase do festival que acontecerá em Jujuy, no mês de agosto:
– BUENOS DÍAS, PACHAMAMA. KUSIYA, KUSIYA, de Marcelo Camiletti, Irene Kuten, Diego Tomasevic.
– LOMA TORTA, LA RESTITUCIÓN, De Yamila Chein Asaro, Cristian Matías González Valenzuela.
– MINDALAE, de Samia Maldonado.
– PENTUKUN. SALUD Y CULTURA MAPUCHE, de Eduardo Masset y Elizabeth Luthard.
– EL FUEGO SAGRADO MAYA, de Ezequiel Sánchez.
– CEFERINO MAPUCHE, LA HORA DEL SANTO, de Adrián Dagotto.


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
João Baptista Pimentel Neto Jornalista e editor da Diálogos Do Sul.

LEIA tAMBÉM

Vox-Abascal-Milei
Xenofobia e delírios ultradireitistas: Vox reúne asseclas em Madri
Xi Jinping - Putin
Encontro de Xi e Putin fortalece relação histórica e aliança contra ofensiva “dupla” dos EUA
Alvaro-Uribe
Colômbia: Uribe pode ser condenado a 12 anos de prisão em julgamento por suborno e fraude
Gustavo Petro
Violação dos acordos de paz: entenda por que Petro vai denunciar a própria Colômbia na ONU