Pesquisar
Pesquisar

Semana de mobilização nacional indígena

Revista Diálogos do Sul

Tradução:

Semana de Mobilização ÍndígenaPara barrar a onda de retrocessos promovida pela bancada ruralista no Congresso Nacional, movimentos indígenas, sociais e organizações não governamentais se uniram para promover uma Mobilização Nacional Indígena entre os dias 30 de setembro e 05 de outubro.

O Congresso Nacional, através da bancada ruralista, tem atuado fortemente para promover retrocessos socioambientais em nosso país. Não bastasse, em 2012, a aprovação de um novo Código Florestal que anistia desmatadores e diminui a proteção das florestas dentro de propriedades privadas, agora eles querem acabar com as áreas protegidas por lei (Unidades de Conservação, Terras Indígenas e territórios quilombolas). Às vésperas do aniversário de 25 anos da Constituição Brasileira (dia 05 de outubro), nossos povos tradicionais, dentre indígenas e quilombolas, estão com seus direitos adquiridos fortemente ameaçados.

Por que se mobilizar?

Para mudar esta situação é preciso pressionar os tomadores de decisões e mobilizar a sociedade. Ficou mais do que claro nas mobilizações de junho que sabendo fazer pressão, nós, enquanto sociedade civil, temos influência sobre as decisões governamentais. Por isso, quanto mais gente estiver discutindo o problema, divulgando as mobilizações, indo para a rua e dizendo não a estes retrocesos, melhor.

Como posso participar da mobilização?

Abaixo, você irá encontrar várias formas de se mobilizar.

  • Está em Brasília, São Paulo, Belém ou Rio Branco? Entre no evento no Facebook, participe da Mobilização em um desses locais e convide seus amigos!
  • Organize sua própria ação! Monte uma atividade de rua, em qualquer cidade, durante a semana dos dias 30 de setembro a 05 de outubro. Use sua criatividade! Vale tudo: danças, flash mob, teatro, cartazes, passeatas.
  • Personalize a imagem do seu perfil nas redes sociais com o avatar da Mobilização. É simples, rápido e fácil. Basta acessar aqui.
  • Divulgue nas suas redes sociais:
    Clique no botão abaixo para publicar sua mensagem.

Saiba mais:


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Revista Diálogos do Sul

LEIA tAMBÉM

Petro-Colombia
Petro reage a ataques de guerrilheiros contrários ao acordo de paz: "Não toleraremos"
Milei
"Barbárie" e "desequilíbrio emocional": Petro e Fernández criticam nova selvageria de Milei
José Raúl Mulino
Eleição no Panamá simboliza crise sistêmica que atinge democracia "representativa"
Vox-Abascal-Milei
Xenofobia e delírios ultradireitistas: Vox reúne asseclas em Madri