Pesquisar
Pesquisar

Senado deve votar projeto que acelera privatização da água e saneamento no Brasil

Representantes da sociedade civil contrários a aprovação do projeto denunciam conflito de interesse do relator do PL, Senador Tasso Jereissati (Psdb-Ce)
Comunicação Fenajud
FENAJUD
Brasília (DF)

Tradução:

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), informou que pretende colocar em votação nesta quarta-feira (24) o projeto de lei (PL 4162/2019) do novo marco regulatório do saneamento básico. Para as entidades dos trabalhadores do setor, o PL abre as portas para um processo de privatização indiscriminada da água e dos recursos hídricos no Brasil.

O texto do projeto prevê a abertura da concessão do serviço de água e esgoto para empresas privadas. Especialistas alertam que isso poderia causar o aumento das tarifas dos serviços de água e esgoto, penalizando a população.

Em vários locais onde esse setor foi privatizado, a qualidade do serviço piorou e a conta de água disparou. Manaus e o estado de Goiás são dois notórios exemplos que ilustram esse fato.

APOIE A DIÁLOGOS

Além disso, o PL ainda pode dar a empresas estrangeiras o controle e o acesso direto a fontes de água estratégicas para o desenvolvimento nacional, como é o caso do Aquífero Guarani, num momento em que boa parte do mundo enfrenta sérios e crescentes problemas de escassez de água potável.

Representantes da sociedade civil contrários a aprovação do projeto denunciam conflito de interesse do relator do PL, Senador Tasso Jereissati (Psdb-Ce)

PAC – Plano de Aceleração / Divulgação
Sistema de Esgotamento Sanitário (SES) de Jacuípe, Alagoas (AL).

Conflito de interesse

O relator do PL é o senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), cuja família é uma das sócias majoritárias da empresa Solar Br Coca-Cola, a segunda maior engarrafadora da multinacional no território brasileiro e uma das 15 maiores do mundo.

Representantes da sociedade civil que são contrários ao PL denunciam o conflito de interesse na escolha de Jereissati como relator de um projeto que está no campo de interesses de uma empresa da sua família, já que a água é a principal matéria-prima para a produção de refrigerantes e bebidas em geral.

Nos debates sobre o assunto, alguns parlamentares se referiram a Jereissati como “senador Coca-Cola”.

A Fenajud se posiciona de forma contrária ao projeto e se soma à luta pelo fortalecimento dos serviços públicos que garantem direitos essenciais à população brasileira.

Mais detalhes sobre o PL 4162/2019:

https://www25.senado.leg.br/web/atividade/materias/-/materia/140534

Assessoria de Comunicação da Fenajud – Federação Nacional dos Trabalhadores do Judiciário nos Estados


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Veja também


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Comunicação Fenajud

LEIA tAMBÉM

Lula-RS-Brasil (2)
Nas mãos de Lula, caos no RS é sequela do bolsonarismo: desmonte ambiental e fake news
mães - palestina
Dia das Mães: algumas mães só querem a paz de presente, lembra ato pró-Palestina em Brasília
RS - inundações
Chamado à solidariedade internacionalista: inundação no RS demanda mobilização
Lula - 1 de maio
Cannabrava | Lula se perdeu nos atos de 1º de maio