Pesquisar
Pesquisar

Senhor das armas: Flávio Bolsonaro seria facilitador de negócio envolvendo 500 fuzis

Indícios apontam para o filho mais velho de Jair Bolsonaro como possível ponte entre empresa de armas e Polícia Civil do Rio de Janeiro
George Ricardo Guariento
Diálogos do Sul
Taboão da Serra

Tradução:

Investigação dos jornalistas Eduardo Militão e Igor Mello, do UOL, apontam para um direcionamento do senador Flávio Bolsonaro(PL-RJ) na compra de 500 Fuzis, feita pela Polícia Civil do Rio de Janeiro.  

Segundo os jornalistas do portal, o direcionamento teria sido para a Sig Sauer, empresa com sede nos EUA. A gigante da indústria bélica já recebeu diversas manifestações favoráveis aos seus negócios no Brasil por parte de membros da família Bolsonaro.

A empresa venceu um pregão em julho de 2020 com uma oferta 2% abaixo do teto mínimo estipulado e teve a compra concretizada cinco meses depois, quando o senador Flávio Bolsonaro teria conseguido uma liberação de R$ 3 milhões com a Secretaria Nacional de Segurança Pública

Indícios apontam para o filho mais velho de Jair Bolsonaro como possível ponte entre empresa de armas e Polícia Civil do Rio de Janeiro

Montagem Diálogos do Sul
Flávio Bolsonaro se envolve em mais uma polêmica durante o governo de seu pai

Os jornalistas do UOL apuraram também que um dos policiais que elaborou a parte técnica da licitação, trabalhava para a Sig Sauer. O nome dele é Manoel Hermida Lage, inspetor da Polícia Civil, que atua como instrutor do campo de tiros da fabricante no Brasil.

Em nota, Flávio afirmou que não tinha conhecimento das irregularidades na compra de fuzis, negou fazer lobby para a Sig Sauer e defendeu que a licitação seja investigada. 

Segundo a própria Polícia Civil do Rio, Manoel Lage não possui nenhum vínculo com a empresa citada pelo UOL. No entanto, registros nas redes sociais do policial, da empresa Performa e Defesa e da Sig Sauer, contradizem a nota, porque mostram que Lage acompanhava Marcelo Costa (fundador da Performa e Defesa) em reuniões que visavam apresentar e auxiliar na venda de armas da Sig Sauer a outras corporações policiais pelo Brasil. 

Os posts revelados pelo UOL, mostram que Lage participou de diversos encontros com representantes da PM de Minas Gerais, do Ceará e Parana.

Acompanhe a matéria completa do UOL aqui.


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Assista na TV Diálogos do Sul


Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:

  • PIX CNPJ: 58.726.829/0001-56 

  • Cartão de crédito no Catarse: acesse aqui
  • Boletoacesse aqui
  • Assinatura pelo Paypalacesse aqui
  • Transferência bancária
    Nova Sociedade
    Banco Itaú
    Agência – 0713
    Conta Corrente – 24192-5
    CNPJ: 58726829/0001-56

       Por favor, enviar o comprovante para o e-mail: assinaturas@websul.org.br 


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
George Ricardo Guariento Graduado em jornalismo com especialização em locução radiofônica e experiência na gestão de redes sociais para a revista Diálogos do Sul. Apresentador do Podcast Conexão Geek, apaixonado por contar histórias e conectar com o público através do mundo da cultura pop e tecnologia.

LEIA tAMBÉM

Lula
Frei Betto | Para Lula, momento exige maior sintonia entre governo e movimentos sociais
Lula-RS-Brasil (2)
Nas mãos de Lula, caos no RS é sequela do bolsonarismo: desmonte ambiental e fake news
mães - palestina
Dia das Mães: algumas mães só querem a paz de presente, lembra ato pró-Palestina em Brasília
RS - inundações
Chamado à solidariedade internacionalista: inundação no RS demanda mobilização