Pesquisar
Pesquisar

“Ser essa terra: São Paulo cidade indígena” no Memorial da Resistência

Com entrada gratuita, exposição poderá ser visitada de 24 de novembro a 22 de abril de 2019, na Estação Pinacoteca/Memorial da Resistência
Redação Diálogos do Sul

Tradução:

“Ser essa terra: São Paulo cidade indígena” é a primeira exposição realizada pelo Memorial da Resistência de São Paulo sobre o tema e tem como recorte o território da cidade de São Paulo e a luta empreitada pelos diversos povos – originários, migrantes e seus herdeiros – pela própria existência.

Desenvolvida conjuntamente por mais de dez lideranças indígenas, conta com mediação curatorial de Daniel Kairoz e Marília Bonas e consultoria de Casé Angatu Xukuru Tupinambá.

Com entrada gratuita, exposição poderá ser visitada de 24 de novembro a 22 de abril de 2019, na Estação Pinacoteca/Memorial da Resistência

MST.org
Exposição tem como recorte o território da cidade de São Paulo e a luta empreitada pelos diversos povos originários

A exposição traz depoimentos, imagens e objetos que revelam a experiência de ser essa cidade desconhecida por aqueles que apenas a habitam, como muitos de nós.

A exposição ficará em cartaz do dia 24 de novembro a 22 de abril de 2019, no 3º andar do edifício da Estação Pinacoteca/Memorial da Resistência. A entrada é gratuita.

Na abertura da exposição, no sábado, dia 24 de novembro, grupos Guarani Mbya, Kaimbé, Kariboka, Kariri-Xocó, Pankararu, Pankaré, Tupi-Guarani, Tupinambá e Wassu-Cocal realizarão coreografias rituais entre 11h e 17h, abertas ao público, na entrada do edifício da Estação Pinacoteca, ao lado da exposição de longa duração do Memorial da Resistência de São Paulo.


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Redação Diálogos do Sul

LEIA tAMBÉM

protestos-peru
Cleptocracia, ignarocracia, bufocracia: o declínio do substantivo "democracia" no Peru
Bolivia-guerra-hibrida-eua (1)
Guerra híbrida na Bolívia entra em nova fase e EUA querem "mudança de regime" até 2025
Petro-Colombia
Petro reage a ataques de guerrilheiros contrários ao acordo de paz: "Não toleraremos"
Milei
"Barbárie" e "desequilíbrio emocional": Petro e Fernández criticam nova selvageria de Milei