Pesquisar
Pesquisar

Stella Calloni: “Evo simboliza a resistência de um país saqueado durante mais de 500 anos”

Stella Calloni

Tradução:

Evo Morales inspirou Stella Calloni, poeta e jornalista argentina, colaboradora de Diálogos do Sul, lançou o livro “Evo na mira”.
Evo Morales inspirou Stella Calloni, poeta e jornalista argentina, colaboradora de Diálogos do Sul, lançou o livro “Evo na mira”.

“O mundo tinha que pedir desculpas a Bolívia por ter esquecido oque ocorreu durante a colônia e o que sucedeu depois quando o país foi convertido num laboratório de experiências contra-insurgentes e de novos sistemas neocoloniais e imperiais que sobrevivem até hoje”, assevera Stella Calloni em sua obra em que passa em revista a ingerência estrangeira na Bolívia nos últimos 50 anos.

“Eleito pelas maiorias, apesar das tentativas do império estadunidense de detê-lo, aos 47 anos Evo chegou ao governo de um país desgarrado e saqueado sem descanso durante mais de quinhentos anos. O relato doloroso e contraditoriamente belo de um país onde o povo nunca deixou de resistir. Evo simboliza essa resistência”, disse Stella, citada pelo diário local Diagonales.
“Tanto a Cia (agência de inteligência de EUA) como o Grupo Militar da embaixada estadunidense em La Paz, dispunham de seus gabinetes dentro do próprio Palácio Quemado – a Casa do Governo – enquanto ONGs e fundações financiadas pela Cia operavam como cobertura, foram gradualmente sujeitando o país em uma teia de aranha que o imobilizava e paralisava as energias nacionais para extrair até a última gota das enormes riquezas naturais da nação mais empobrecida da América do Sul”.
Com abundante documentação, pesquisas, entrevistas a Evo Morales e ao vice presidente Álvaro García Linera, testemunho e crônicas da realidade, Stella demonstra “como um país imensamente rico em recursos humanos e naturais, pode ser convertido em um laboratório de projetos neocoloniais. E também de que maneira o povo boliviano desenterrou seus espelhos para que nos olhemos neles nos tempos da dominação e no esplendor das resistências”.
Stella Calloni é também autora de Operação Condor: Pacto Criminoso, em que desnuda os mecanismos dessa “internacional da morte” das ditaduras do Cone Sul
Segundo o legendário líder histórico da revolução de Cuba, Fidel Castro, “Calloni é uma das melhores pesquisadoras para compreender o intervencionismo do imperialismo estadunidense nas diferentes regiões”.
Atualmente é correspondente para América do Sul do Jornal La Jornada de México, com sede em Buenos Aires e também colaboradora de Diálogos do Sul


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Stella Calloni Atuou como correspondente de guerra em países da América Central e África do Norte. Já entrevistou diferentes chefes de Estado, como Fidel Castro, Hugo Chávez, Evo Morales, Luiz Inácio Lula da Silva, Rafael Correa, Daniel Ortega, Salvador Allende, etc.

LEIA tAMBÉM

Gustavo Petro
Violação dos acordos de paz: entenda por que Petro vai denunciar a própria Colômbia na ONU
Haiti
Haiti: há pelo menos 20 anos comunidade internacional insiste no caminho errado. Qual o papel do Brasil?
Betty Mutesi
“Mulheres foram protagonistas na reconstrução da paz em Ruanda”, afirma ativista Betty Mutesi
Colombia-paz
Possível retomada de sequestros pelo ELN arrisca diálogos de paz na Colômbia