Pesquisar
Pesquisar

Sucesso eleitoral em Cuba cala ataques dos EUA e chanceler cubano declara: "Inaceitáveis"

Pronunciamento de Bruno Rodríguez vem após embaixada estadunidense na ilha qualificar o pleito como "antidemocrática"
Redação Russia Today

Tradução:

O ministro de Relações Exteriores de Cuba, Bruno Rodríguez, qualificou de “inaceitáveis” por serem “ingerencistas e enganosos” os comentários do Governo dos EUA sobre a jornada eleitoral de domingo na ilha, quando se renovaram os deputados da Assembleia Nacional. 

“Pouco ou nada a aprender do sistema arcaico e elitista estadunidense, onde manda o dinheiro e dois partidos políticos se revezam no governo com a mesma minoria”, acrescentou Rodríguez em sua mensagem publicada no Twitter.

O pronunciamento do chanceler ocorre depois que a Embaixada dos EUA em Cuba publicou, na mesma rede social, uma crítica à jornada eleitoral, qualificando-a de “antidemocrática”.

“As eleições sem alternativas reais —como as votações para a Assembleia Nacional deste fim de semana — são antidemocráticas. Os cubanos merecem opções reais em eleições legítimas que apresentem candidatos de mais de (um) único partido político e além do Partido Comunista”, publicou a missão diplomática.

Também em resposta a este ‘tuite’, Johana Tablada de la Torre, subdiretora geral para os EUA do Ministério de Relações Exteriores de Cuba, afirmou que o Governo norte-americano soube que eram “reais” as eleições, já que se encarregou de promover a abstenção. 

“Fracassaram nas medidas de cerco inumanas, desinformação e apelos para que a população não votasse ou fizesse voto de punição. Agora, toca a aceitar os resultados e respeitar a vontade da maioria em Cuba”, enfatizou.


Alta participação

Nas eleições de domingo, os cubanos elegeram os 470 novos membros da Assembleia Nacional do Poder Popular, que tomarão posse em 19 de abril próximo e terão entre suas primeiras responsabilidades eleger seus dirigentes, que são também do Conselho de Estado, além do presidente  e vice-presidente da República.

A presidente do Conselho Eleitoral Nacional (CEN), Alina Balseiro, informou que nesta jornada eleitoral exerceram seu voto 6.164.876 eleitores, dos 8.120.072 que formam o eleitorado; o que representa 75,92 % de participação.

Também informou que, do total de cédulas depositadas nas urnas, houve 90,28 % válidas, 6,22 % em branco e 3,50 % foram anuladas.

Redação | Russia Today
Tradução: Ana Corbisier


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Assista na TV Diálogos do Sul


Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.

Redação Russia Today

LEIA tAMBÉM

PascualHernandezCUC
“Do genocídio praticado contra indígenas na Guatemala surgiu o termo palestinização”, afirma CUC
Peru-mulheres-indigenas-rio-maranon
Mulheres indígenas enfrentam petroleira para proteger Rio Marañón, no Peru
Cuba-bloqueio
EUA mantêm Cuba como patrocinadora do terrorismo para afogar projeto cubano de soberania
medicos-Cuba
Em 60 anos, médicos cubanos já socorreram 165 países e resistem à perseguição dos EUA