Pesquisar
Pesquisar

Toyota vai fechar fábrica com 580 trabalhadores em São Bernardo: “inaceitável”

Segundo sindicato, fechamento não prejudica apenas trabalhadores, mas toda uma rede de fornecedores; milhares de empregos podem ser perdidos
Redação Rede Brasil Atual
Rede Brasil Atual
São Paulo (SP)

Tradução:

O Sindicato dos Metalúrgicos do ABC (SMABC) foi surpreendido no início da tarde de hoje (5) pelo anúncio de que a montadora Toyota decidiu encerrar as atividades da fábrica em São Bernardo do Campo.

A unidade, que é a primeira planta da empresa fora do Japão, foi fundada em 1962 e atualmente emprega 580 trabalhadores. A empresa alega “otimização de custos” e que planeja transferir toda a produção da sede do ABC paulista para as três fábricas que mantém no interior de São Paulo: Porto Feliz, Sorocaba e Indaiatuba.

“Fomos surpreendidos pela direção da Toyota com o anúncio da decisão de fechamento”, afirmou o presidente do SMABC, Moisés Selerges, em nota publicada no site da entidade. “O fechamento não prejudica só os trabalhadores na empresa, mas toda uma rede de fornecedores. Milhares de empregos podem ser perdidos. Vamos iniciar um processo de luta e resistência”, completou.

Ainda segundo o SMABC, a decisão causa indignação também porque a empresa, juntamente com os governos do estado e federal, vinha se recusando a atender ao chamado dos trabalhadores para debater alternativas que mantivessem a planta de São Bernardo em condições de evitar seu fechamento. “Há muito tempo o Sindicato vinha cobrando investimentos na planta em São Bernardo. Vivemos em uma conjuntura que a política industrial é desprezada, tanto pelo governo do estado como pelo governo federal”, protestou Selerges.

Segundo sindicato, fechamento não prejudica apenas trabalhadores, mas toda uma rede de fornecedores; milhares de empregos podem ser perdidos

Rede Brasil Atual | Montagem
Dirigentes do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC se reúnem com trabalhadores da Toyota, iniciando processo de luta e resistência

Otimização pra quem?

Por sua vez, o diretor administrativo do SMABC, Wellington Messias Damasceno afirma que a Toyota “desonra um compromisso” e que a empresa mostra não estar preocupada com os empregos e com as famílias que serão afetadas pela decisão, que classificou como irresponsável.

“O tempo todo a Toyota vinha insistindo que a empresa tinha futuro aqui, que não ia fechar. Chegou a dizer que a planta de São Bernardo tinha produto para os próximos três anos, que era uma fábrica produtiva, competitiva e lucrativa. E o Sindicato, a todo momento, discutindo e pautando a questão do investimento. Agora a fábrica toma essa decisão de maneira irresponsável. Ela não tem motivo para fazer isso, podia reorganizar a produção, trazer algum produto para cá, tinha outras alternativas que não fechar. Qualquer justificativa não é aceitável”, criticou Wellington.

O processo de fechamento da fábrica da Toyota no ABC paulista começa em dezembro e deve durar até novembro de 2023. Ao jornal Folha de S.Paulo a empresa disse que 100% dos empregos que atualmente estão em São Bernardo serão mantidos, se os colaboradores quiserem se mudar para as fábricas do interior paulista.

Redação Rede Brasil Atual


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Assista na TV Diálogos do Sul


Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:

  • PIX CNPJ: 58.726.829/0001-56 

  • Cartão de crédito no Catarse: acesse aqui
  • Boletoacesse aqui
  • Assinatura pelo Paypalacesse aqui
  • Transferência bancária
    Nova Sociedade
    Banco Itaú
    Agência – 0713
    Conta Corrente – 24192-5
    CNPJ: 58726829/0001-56

       Por favor, enviar o comprovante para o e-mail: assinaturas@websul.org.br 


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Redação Rede Brasil Atual

LEIA tAMBÉM

g20-guarani-ms-3
G20 e universidade do MS fecham parceria para produção de conteúdo jornalístico em guarani
MST-40 anos
Brasil possui 2ª maior concentração de terras do mundo, vergonha que MST combate há 40 anos
Lula
Frei Betto | Para Lula, momento exige maior sintonia entre governo e movimentos sociais
Lula-RS-Brasil (2)
Nas mãos de Lula, caos no RS é sequela do bolsonarismo: desmonte ambiental e fake news