Pesquisar
Pesquisar

“Trabalhadores exilados: a saga de brasileiros forçados a partir (1964-1985)”

Redação Diálogos do Sul

Tradução:

unnamedUm livro fruto de uma pesquisa de pós-doutorado na EHSS- Ecole de École des hautes études en sciences sociales, em Paris, sob a direção do professor, o antropólogo Afrânio Garcia Jr., publicado em francês em 2015. A versão em português é da Editora Prismas.

Apresentação do professor e sociólogo Marcelo Ridente:

Este livro instigante busca recuperar a memória e a história do exílio de trabalhadores brasileiros durante a ditadura militar, ressaltando as novas socializações que proporcionou, a despeito das circunstâncias difíceis da partida forçada. Mais importante: a ênfase está em operários, pouco destacados pela literatura.
Resulta de pesquisa de fôlego, com várias entrevistas e uso de ampla bibliografia e documentação. Ele apresenta dados estatísticos sobre a composição social dos exilados, reconstitui os eixos de migração e acolhimento: Chile, Argentina, Cuba, Europa Oriental, Europa Ocidental (especialmente França, Suécia e Portugal).
Apesar das dificuldades, os exilados oriundos das classes populares recordam das oportunidades de crescimento pessoal e coletivo no exterior, do contato com outras culturas e experiências políticas, das oportunidades de estudo e aperfeiçoamento profissional, das ligações com grupos e redes de sociabilidade, aspectos que facilitaram a reinserção na sociedade brasileira após a anistia.
Escrito com clareza, o livro favorece a leitura do público em geral, mas sem perder o rigor acadêmico que o torna indispensável aos estudiosos da ditadura, do exílio e de um paradoxo latente na obra: houve relativo êxito pessoal e profissional dos militantes exilados, a despeito da derrota dos projetos políticos originais que os forçaram ao exílio.
Mazé Torquato Chotil é jornalista, doutora em ciências da informação e comunicação, realizou este trabalho de pesquisa pós-doutoral em ciências sociais na EHESS – École des hautes études en sciences sociales em Paris, onde reside.
Afrânio Garcia Jr., orientador da pesquisa, é antropólogo, mestre de conferências na EHESS e pesquisador do CESSP

Serviço

Lançamentos:
Segunda-feira, 25/04, às 19h: ECLA/ ERLA – Espaço da Rosa Latino americano juntamente com o show de canções francesas de Bernard Chotil e Jeff Mignot – Rua Abolição, 244 – Bixiga, São Paulo
Quarta-feira, 27/04, às 18h: Casa do poeta Lampião de gás juntamente com o show de canções francesas de Bernard Chotil e Jeff Mignot – Rua Álvares Machado, 22 – Liberdade, São Paulo (Sede da API – Associação Paulista de Imprensa)
Quinta-feira, 28/04, às 18h, Auditório do Sindicato dos jornalistas de São Paulo, com a participação do jornalista Audálio Dantas, do Sociólogo Marcelo Ridenti e do ex-exilado Luis Cardoso, o Luisão.
Segunda-feira, 02/05, às 19h: Auditório II da Faculdade de Ciências Humanas-FCH da UFGD – Universidade federal da Grande Dourados
Quarta-feira, 04/05, às 19h: Sindicato dos metalúrgicos de Osasco com a participação do IIEP (endereço a confirmar)

Editora Prismas: http://editoraprismas.com.br/produto/7814670/PRE-VENDA-Trabalhadores-Exilados-A-
saga-de-brasileiros-forcados-a-partir-1964-1985
Contato> editorchefe@editoraprismas.com.br autora machotil@yahoo.fr


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Redação Diálogos do Sul

LEIA tAMBÉM

Gustavo Petro
Violação dos acordos de paz: entenda por que Petro vai denunciar a própria Colômbia na ONU
Haiti
Haiti: há pelo menos 20 anos comunidade internacional insiste no caminho errado. Qual o papel do Brasil?
Betty Mutesi
“Mulheres foram protagonistas na reconstrução da paz em Ruanda”, afirma ativista Betty Mutesi
Colombia-paz
Possível retomada de sequestros pelo ELN arrisca diálogos de paz na Colômbia