Pesquisar
Pesquisar

Turquia se equilibra entre interesses imperialistas de Washington e Moscou

Instalação em território turco de duas baterias russas de defesa antiaérea de médio e longo alcance S-400, centralizam disputa entre a Rússia e os EUA
Juan Pablo Duch
Prensa Latina
Moscou

Tradução:

Conforme avança este mês de abril – quando estava previsto que a Turquia concluísse a implantação das baterias de defesa antiaérea S-400 russas e os primeiros mísseis se incorporaram ao arsenal do exército turco -, aumentam as pressões de Washington para que Ancara renuncie a esse tipo de armamento “incompatível com os padrões da Organização do Tratado do Atlântico Norte” (OTAN). 

Não surpreende, portanto, que pouco depois de o Departamento de Estado dos EUA ter reafirmado que Washington aplicará sansões contra Ancara se não desistir de implantar esse tipo de armamento russo, o chanceler turco, Mevlüt Çavuşoğlu, infirmou que seu país está disposto a comprar baterias estadunidenses de defesa antiaérea Patriot e/ou sistemas similares fabricados em outros países da OTAN “se receber ofertas adequadas”. 

Em resposta divulgada através do Pentágono, o governo dos Estados Unidos respondeu que só venderá o sistema Patriot à Turquia após a Turquia concretizar a devolução para a Rússia dos S-400”.

Instalação em território turco de duas baterias russas de defesa antiaérea de médio e longo alcance S-400, centralizam disputa entre a Rússia e os EUA

Topwar.ru
Baterias de defesa antiaérea S-400 russas estão no centro da disputa

Nesse contexto de tensão entre Ancara e Washington, o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, telefonou nesta terça-feira ao presidente da Rússia, Vladimir Putin, visando a troca de informações e opiniões sobre a Covid-19, sobre a situação na Síria e para reiterar a conveniência de impulsionar ainda mais a cooperação bilateral e a implementação de projetos conjuntos”.

Segundo especialistas de relações internacionais, entre os referidos projetos conjuntos, destaca-se o da fabricação e instalação em território turco de duas baterias de defesa antiaérea de médio e longo alcance S-400.

Cada uma destas baterias contempla 12 rampas de lançamento com capacidade unitária de 4 mísseis, totalizando, a implantação de bases para o lançamento de 48 mísseis, no território da Turquia. A aquisição destas duas baterias, já enviadas pela Rússia a Turquia, tiveram seu custo estimado em 2,5 milhões de dólares e devem estar plenamente operativas ainda ao final deste mês de abril. 

As táticas de Ancara

Por enquanto, como parte da tática adotada por Ancara, fontes anônimas do governo da Turquia “vazaram” à imprensa, através das agências noticiosas, que a implantação dos S-400 deverá ser atrasada em “alguns meses” devido à necessidade de concentrar recursos para vencer a pandemia do coronavírus.

Ao adotar tal estratégia, o governo da Turquia ganha tempo e busca adiar a aplicação de sanções estadunidenses contra o país, enquanto trata de obter melhores posições para reintegrar-se plenamente ao programa da OTAN de produção conjunta de novos caças F-35, iniciado já no verão de 2019, do qual foi excluído como represália de Washington pela compra dos S-400.

Juan Pablo Duch, Correspondente de Prensa Latina em Moscou

Prensa Latina, especial para Diálogos do Sul — Direitos reservados.

Tradução: Beatriz Cannabrava


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Veja também


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Juan Pablo Duch Correspondente do La Jornada em Moscou.

LEIA tAMBÉM

Wu Qian - China
Líder em Taiwan empurra compatriotas para situação perigosa de guerra, afirma China
Rússia-Defesa
Kremlin manda prender altos funcionários da Defesa por corrupção; entenda o caso
Rafah-ataque-Israel
Fepal: Como Alemanha nazista, Israel deve ser parado pela força das armas
Netanyahu
Pouco há para comemorar na decisão da Corte Penal Internacional contra Netanyahu