Pesquisar
Pesquisar

Ucrânia planejou atentado que matou apoiador do Kremlin em São Petersburgo, declara Rússia

Segundo o porta-voz russo Dmitry Peskov, a Rússia pode estar enfrentando uma onde de terrorismo; outras 32 pessoas ficaram feridas
Redação Brasil de Fato
Brasil de Fato
Rio de Janeiro (RJ)

Tradução:

O Comitê Nacional de Antiterrorismo na Rússia afirmou nesta segunda-feira (3) que o atentado em São Petersburgo, que resultou na morte do blogueiro nacionalista Maksim Fomin, conhecido como Vladlen Tatarsky, teria sido planejado pelos serviços especiais da Ucrânia com participação de apoiadores do opositor russo Alexei Navalny. Outras 32 pessoas ficaram feridas. 

A explosão em um café de São Petersburgo no último domingo (2) aconteceu durante uma reunião de um grupo nacionalista que apoia o Kremlin no contexto da guerra na Ucrânia. Ex-correspondente militar na região de Donbass, no leste ucraniano, Tatarsky era um das vozes mais radicais do apoio às ações militares russas no país vizinho.

Assista na TV Diálogos do Sul

No começo desta segunda-feira (3), as autoridades detiveram Daria Trepova, 26 anos, por suspeita de envolvimento na explosão. Em vídeo divulgado pelo Ministério do Interior, ela admite que trouxe para o encontro com Tatarsky uma estatueta que, provavelmente, continha explosivos.

“Por suspeita de envolvimento na explosão de um café em São Petersburgo, os oficiais do Comitê Investigativo da Rússia, juntamente com os serviços operacionais, detiveram Daria Trepova. As ações investigativas necessárias estão sendo realizadas com ela. Os motivos do crime cometido estão sendo apurados”, diz o órgão. 

Guerra na Ucrânia passa de 1 ano sem prazo pra acabar. Já entendeu os motivos do conflito?

De acordo com o comunicado do Comitê Nacional de Antiterrorismo, Trepova é uma apoiadora ativa da Fundação Anticorrupção, que é liderada pelo opositor Alexei Navalny, que atualmente está preso. A instituição é classificada pelas autoridades russas como uma organização extremista.

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, reiterou a tese do comitê de investigação de que “os serviços especiais ucranianos podem estar envolvidos no planejamento desse ataque terrorista“. Ao responder a jornalistas se a Rússia pode estar enfrentando uma onda de terrorismo, Peskov comparou o incidente com o assassinato de Daria Dugina, filha do ideólogo nacionalista russo Alexander Dugin, em agosto de 2022.

“A Rússia enfrenta um regime em Kiev que apoia atividades terroristas. Este é o regime que está por trás do assassinato de Daria Dugina, este é o regime que, muito possivelmente, está por trás do assassinato de Fomin, por trás do ataque terrorista em São Petersburgo. Este é o regime que está por trás da morte de pessoas há anos, desde 2014. É por isso que uma operação militar especial está sendo realizada”, disse Peskov. 

O café “Street Food Bar Nº 1”, estabelecimento onde ocorreu a explosão, é localizado no centro de São Petersburgo e é propriedade de Yevgueni Prgozhin, chefe do grupo militar privado “Wagner”, um dos principais braços das ações militares de Moscou na guerra da Ucrânia.  

Segundo o porta-voz russo Dmitry Peskov, a Rússia pode estar enfrentando uma onde de terrorismo; outras 32 pessoas ficaram feridas

Olga Maltseva
O café "Street Food Bar Nº 1", estabelecimento onde ocorreu a explosão, é localizado no centro de São Petersburgo

Algumas horas horas após o atentado em São Petersburgo, Prigozhin anunciou que a cidade ucraniana de Bakhmut, região onde ocorrem intensos combates, havia sido “legalmente” tomada e uma bandeira seria hasteada na cidade em memória de Tatarsky.

Redação | Brasil de Fato
Edição: Patrícia de Matos


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Assista na TV Diálogos do Sul


Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Redação Brasil de Fato

LEIA tAMBÉM

Netanyahu
Pouco há para comemorar na decisão da Corte Penal Internacional contra Netanyahu
Nationale Sozialisten,Demonstration,Recht auf Zukunft,Leipzig,17
Conluio da extrema-direita realizado em Madri é só a ponta do iceberg
EUA-fentanil
A DEA, a ofensiva contra o México, o fentanil e os mortos por incúria
Wang-Wenbin-China
China qualifica apoio dos EUA a separatismo em Taiwan como “grave violação” e exige retratação