Pesquisar
Pesquisar

Um "bilhetinho" de Ceci Juruá para seus amigos e amigas e leitores de Diálogos do Sul

Escrevo-lhes rapidamente, um "bilhetinho", preciso sair logo. Um "Bilhete sem título". Assim procedo porque o tempo urge
Ceci Juruá

Tradução:

Amigos e amigas, 

Escrevo-lhes rapidamente, um “bilhetinho”, preciso sair logo.

Bilhete sem título

Assim procedo porque o tempo urge. Quero, e preciso, compartilhar com vocês algumas hipóteses que venho fazendo nos últimos dias a partir da intensa leitura de jornais e declarações de inimigos através das vozes e pronunciamentos dos atuais adversários políticos.

Escrevo-lhes rapidamente, um "bilhetinho", preciso sair logo. Um "Bilhete sem título". Assim procedo porque o tempo urge

Reprodução Facebook
Escrevo-lhes rapidamente, um "bilhetinho", preciso sair logo.

1. Esta guerra, já consensuada como híbrida, é altamente desigual, sob alguns pontos de vista. Por exemplo, é desigual do ponto de vista financeiro. Eles tem muito dinheiro. Dinheiro do caixa das empresas que atuam aqui em nosso país. Dinheiro “escondido” nos paraísos fiscais. E dinheiro acumulado nos países-sede graças a desmedida exploração e remessa dos lucros obtidos especialmente em países “em desenvolvimento” como o nosso Brasil.

Desigual do ponto de vista tecnológico. Eles “controlam” o Google, o Facebook,  o Whatzap e todas as outras “redes sociais” similares, que hoje estão a serviço dos donos do mundo.

Desigual do ponto de vista do poder do mundo empresarial. Graças a Fernando Collor de Mello e a Fernando Henrique Cardoso, todo nosso patrimônio produtivo, público e privado, foi transferido para o grande capital, aos trustes internacionais.  Como comprovado no livro “A Era do Capital Improdutivo”, de Ladislau Dowbor (que merece uma atenta leitura)..

 2. O Partido dos Trabalhadores (PT) não é problema, ao longo do tempo as altas finanças já instaladas hegemonicamente no Brasil, poderiam infiltrar seus agentes nesse partido, cooptar os mais fracos e vulneráveis à corrupção , como já fizeram em outros partidos políticos, e talvez, quem sabe, em parte do próprio PT.  Este é um ponto sobre o qual nada afirmo.  Faço hipóteses apenas.

Quem deveria combater a corrupção são a polícia e os juízes. Sabemos que não o fizeram, não o fazem. Atuam seletivamente contra os inimigos, ou adversários das altas finanças mundiais.

Mas o PT oferece certas dificuldades às corporações mundiais. O PT precisa do Estado para combater a pobreza e a miséria do povo brasileiro, seu objetivo principal. Alguns líderes são incorruptíveis, caso do Lula, de Dilma, de muitos outros.

A burguesia e o grande capital tem horror dos funcionários incorruptíveis do Estado. Quem foi servidor público sabe bem como eles procedem com as pessoas honestas. Geladeira! Expulsão dos cargos de direção! Perseguição nos tribunais!

Analisem quem está no poder do governo ilegítimo desde maio de 2016. Só pessoas com “tantas qualidades” podem subir, alcançar cargos de direção. Desde a década de 1980, pelo menos, quando de fato proliferaram.  

3. A guerra híbrida não é específica no Brasil, ou contra os brasileiros unicamente. Vejam como se comporta o maior aliado dos EUA – ou os maiores aliados – Israel e Arábia Saudita. Vejam o que aconteceu na África do Norte. Na Coréia do Sul. Na Síria, no Irã. E lá onde for necessário, isto é, lá onde existem petróleo, minérios, água, tecnologia de ponta, e tudo que pode ameaçar o império anglo-saxão e seus principais aliados. 

No Brasil eles querem :  

a) Destruir a indústria brasileira, incorporando-a nas cadeias de valores da corporações mundiais; 

b) Destruir o Estado Nacional, responsável pela industrialização no século do aço, o século 20. O que está em curso é a instalação de um Governo Mundial;

c) Africanizar nosso território, esburacando-o para exportar o ouro o diamante e os minérios de que precisam para suas indústrias organizadas em trustes e cartéis mundiais. Para isto precisam deslocar as populações que ocupam territórios onde há minerais. Os índios devem ser dizimados. As terras devem ser propriedade do capital estrangeiro que poderá, talvez, promover a balcanização do território brasileiro. Como já tentaram na virada do século 19 para o século 20. Época em que aqui se instalou o “polvo canadense”.

Em síntese: a nossa guerra é contra o Império 

Império anglo-saxão. Império que já foi capaz de matar 200 mil pessoas, de uma só tacada, depois de terminada a  Segunda Guerra Mundial. Lançando algo de que eles possuíam o monopólio: a bomba atômica. Não esqueçam isto. Contem aos filhos e aos netos.

O objetivo imediato, deles, por aqui, é impedir a recuperação da indústria brasileira, que havia sido proposta pelo PAC. Entenderam nossos inimigos que daqui por diante é necessário aniquilar o Estado nacional. Como já fizeram em outros países, a Iugoslávia é um exemplo. Daí a decisão de liquidar os partidos políticos atuais, sempre que possível, substituindo políticos por comerciantes, na vida prática e no sentido figurado.  Comerciantes, e banqueiros. Para isso fizeram os partidos  NOVO, PODEMOS, PFL etc, etc.  

O povo brasileiro merece conhecer bem esta historinha, triste, trágica, que ameaça nosso futuro, individual e como povo que tem uma Pátria.

*Colaboradora de Diálogos do Sul, professora de economia – RJ, outubro de 2018


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Ceci Juruá

LEIA tAMBÉM

Lula-RS-Brasil (2)
Nas mãos de Lula, caos no RS é sequela do bolsonarismo: desmonte ambiental e fake news
mães - palestina
Dia das Mães: algumas mães só querem a paz de presente, lembra ato pró-Palestina em Brasília
RS - inundações
Chamado à solidariedade internacionalista: inundação no RS demanda mobilização
Lula - 1 de maio
Cannabrava | Lula se perdeu nos atos de 1º de maio