Pesquisar
Pesquisar

Uruguai anuncia saída do TIAR após decisão intervencionista contra Venezuela

A saída se fará efetiva dentro de dois anos de acordo com a regulamentação do documento regional
Redação Prensa Latina
Prensa Latina
Montevidéu

Tradução:

O chanceler do Uruguai, Rodolfo Nin Novoa, anunciou hoje a retirada de seu país do Tratado Interamericano de Assistência Recíproca (TIAR), após ser adotada uma decisão intervencionista contra a Venezuela.

“Saímos do Tratado por obsoleto, não condizente, por uso não apropriado do mesmo”, proclamou em entrevista coletiva na sede do Ministério de Relações Exteriores. 

Tornou a recordar que o TIAR nunca foi invocado desde seu surgimento em 1947 e que houve uma tentativa em 1982 quando da guerra das Malvinas entre a Argentina e o Reino Unido, mas então os “Estados Unidos consideraram que a Argentina era o país agressor”. 

Uruguai deixou firme a única posição contrária em uma reunião convocada na sede das Nações Unidas com 16 ministros de Estados signatários do TIAR, entre os quais o de Trinidad Tobago que se absteve.

A saída se fará efetiva dentro de dois anos de acordo com a regulamentação do documento regional

Marcelo Camargo/Agência Brasil
O chanceler do Uruguai, Rodolfo Nin Novoa

O vice-ministro uruguaio, Ariel Bergamino, reiterou em sua intervenção que existem “impedimentos de fundo e de forma” na invocação de um pacto de defesa que data de 1947 contra um país como a Venezuela que não forma parte dele.

Na resolução aprovada por maioria foi proposto “perseguir” e “capturar”  “entidades associadas ao regime de Nicolás Maduro” que estejam “envolvidas em atividades ilícitas”, além de fazê-lo “com altos funcionários do governo”. 

Com respeito ao polêmico artigo oito que, entre outras coisas, invoca o “emprego da força armada”, adianta que poderão ser “avaliadas a formulação de eventuais recomendações”. 

A saída do Uruguai do TIAR se fará efetiva dentro de dois anos de acordo com a regulamentação do documento regional.

*Tradução: Beatriz Cannabrava

**Prensa Latina, especial para Diálogos do Sul — Direitos reservados.

Veja também


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Redação Prensa Latina

LEIA tAMBÉM

protestos-peru
Cleptocracia, ignarocracia, bufocracia: o declínio do substantivo "democracia" no Peru
Bolivia-guerra-hibrida-eua (1)
Guerra híbrida na Bolívia entra em nova fase e EUA querem "mudança de regime" até 2025
Petro-Colombia
Petro reage a ataques de guerrilheiros contrários ao acordo de paz: "Não toleraremos"
Milei
"Barbárie" e "desequilíbrio emocional": Petro e Fernández criticam nova selvageria de Milei