Pesquisar
Pesquisar

"Virada histórica", diz advogada criminalista, sobre julgamento de suspeição de Moro no STF

Fabiana Marques (AIB) comemorou os votos dos ministros Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski, que indicam “freio” aos abusos cometidos por Moro
Redação RBA
Rede Brasil Atual
São Paulo (SP)

Tradução:

Para a advogada criminalista Fabiana Marques, da Comissão de Direito Penal do Instituto dos Advogados do Brasil (IAB), os votos dos ministros Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski, na Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF), a favor da suspeição do ex-juiz Sergio Moro no processo contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva representam uma “virada histórica”. 

Ela classificou como “justo” o pedido de vista do ministro Nunes Marques, mas diz que espera que o julgamento seja retomado o mais brevemente possível. 

“Toda a sociedade e as partes envolvidas no processo precisam de uma resposta. A própria comunidade jurídica, em especial a advocacia criminal, precisa que sejam pontuados esses absurdos, para que não se repitam”, afirmou Fabiana, em entrevista a Glauco Faria, no Jornal Brasil Atual desta quarta-feira (10).

O habeas corpus acusando a suspeição de Moro foi impetrado pela defesa de Lula ainda em dezembro de 2018. Fabiana classificou como “absurda” a demora para que o julgamento fosse retomado. Mas, ironicamente, nesse interregno, vieram a público as mensagens trocadas pelos procuradores da Lava Jato e o então juiz Moro.

Fabiana Marques (AIB) comemorou os votos dos ministros Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski, que indicam “freio” aos abusos cometidos por Moro

Reprodução: Winkiemedia
Juiz Sérgio Moro durante depoimento na comissão da reforma do Código de Processo Penal

O escândalo conhecido como Vaza Jato deixou “transparente”, segundo a criminalista, os abusos cometidos pelos envolvidos. Mas recentemente, outras conversas apreendidas na operação Spoofing também foram divulgadas. “Ficou público e notório. Se havia qualquer dúvida, hoje não há mais. A defesa foi cuidadosa e zelosa, mas fato é que esses diálogos vieram a público. Inclusive os ministros tomaram conhecimento”, destacou Fabiana.

 “O modo como a Lava Jato era vista em 2018 era completamente diferente do que ela é vista hoje. Em 2018, Moro era visto como o grande bastião da lei e a Lava Jato como um grande processo que buscava sanar todas as mazelas do país. Isso acabou caindo por terra e se descortinou efetivamente com a Vaza Jato”, acrescentou.   

Direito de defesa 

De acordo com a criminalista, os votos de Mendes e Gilmar foram “precisos”, “técnicos” e “assertivos”. E contribuem para a restauração do direito de defesa. Dentre outros abusos, as mensagens revelaram que os  telefones do escritório dos advogados de Lula foram ilegalmente grampeados. Gilmar Mendes classificou o expediente de cerceamento do direito de defesa como típico de “regimes autoritários”.

Esses conteúdos causaram indignação inclusive na ministra Cármen Lúcia. “Gravíssimo”, comentou a ministra,  que anteriormente havia votado contra a suspeição de Moro. Essa interjeição abriu especulações de que ela possa rever seu voto quando houver o julgamento final. “Por conta disso, há a possibilidade da ministra Carmén Lúcia mudar o seu voto”, afirmou Fabiana.

Para a ela, a tendência em favor da suspeição de Moro, em meio ao clima de virada, é uma decisão positiva “para a advocacia criminal como um todo”. “O que estávamos presenciando eram verdadeiras aberrações cometidas sem qualquer freio. Ao contrário. Até a Vaza Jato, contavam com o apoio de uma parcela da população e de parte da comunidade jurídica. A partir da Lava Jato, temos hoje diversos advogados e escritórios de advocacia enfrentando o mesmo problema. O que é gravíssimo, como disse a ministra”, afirmou Fabiana. 

Assista à entrevista  


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Assista na Tv Diálogos do Sul

 

Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Redação RBA

LEIA tAMBÉM

Lula
Frei Betto | Para Lula, momento exige maior sintonia entre governo e movimentos sociais
Lula-RS-Brasil (2)
Nas mãos de Lula, caos no RS é sequela do bolsonarismo: desmonte ambiental e fake news
mães - palestina
Dia das Mães: algumas mães só querem a paz de presente, lembra ato pró-Palestina em Brasília
RS - inundações
Chamado à solidariedade internacionalista: inundação no RS demanda mobilização