Pesquisar
Pesquisar

Vitória vai transformar SP em fronteira de resistência a bolsonarismo, diz Erundina

Deputada pelo PSOL e ex-prefeita de São Paulo, Luiza Erundina é pré-candidata à Prefeitura na chapa composta com o líder do MTST Guilherme Boulos
Mariane Barbosa
Diálogos do Sul
São Paulo (SP)

Tradução:

Pesquisa da Consultoria Atlas, realizada em parceria com o El País, divulgada na última sexta-feira (11), apontou que Guilherme Boulos e Luiza Erundina, ambos do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), aparecem em segundo lugar nas intenções de votos para a Prefeitura de São Paulo, a terceira maior cidade do mundo.

Em entrevista exclusiva para a TV Diálogos do Sul, a deputada federal e candidata à vice-prefeitura de São Paulo, Luiza Erundina, trouxe o debate sobre a longa permanência tucana no poder da cidade, que se assemelha e mescla com o bolsonarismo.

Deputada pelo PSOL e ex-prefeita de São Paulo, Luiza Erundina é pré-candidata à Prefeitura na chapa composta com o líder do MTST Guilherme Boulos

Reprodução: WinkieMedia
Em quarentena rigorosa, por ser do grupo de risco, a pré-candidata de 85 anos precisou se afastar das ruas e da campanha corpo a corpo.

Erundina, que já dirigiu a cidade em 1988, quando estava no Partido dos Trabalhadores (PT), avalia que a vitória na capital significaria que a ala progressista poderia “transformar a cidade em uma fronteira de resistência ao bolsonarismo” e ao mesmo tempo mobilizar o poder econômico, social, político e cultural para “recomeçar a reconstruir o nosso país a partir de São Paulo”.

Para ela, que é hoje deputada federal, “só a política é capaz de transformar e reverter esse quadro dantesco que vivemos no país”. “Essa vontade que eu tenho, de um mundo melhor, de um país mais solidário, é vontade de justiça social e de acabar com tanta desigualdade. 

Em quarentena rigorosa, por ser do grupo de risco, a pré-candidata de 85 anos precisou se afastar das ruas e da campanha corpo a corpo, mas tem acompanhado, pela internet, os acontecimentos. “Me coloco à disposição. Tô dando tudo que eu posso”, diz.


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Veja também


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Mariane Barbosa

LEIA tAMBÉM

Javier_Milei
Milei bloqueia 5 mil ton de comida, deixa mais pobres com fome e inflama revolta na Argentina
Héctor Llaitul
Sem provas, justiça do Chile condenou líder mapuche Héctor Llaitul em prol de madeireiras
protestos-peru
Cleptocracia, ignarocracia, bufocracia: o declínio do substantivo "democracia" no Peru
Bolivia-guerra-hibrida-eua (1)
Guerra híbrida na Bolívia entra em nova fase e EUA querem "mudança de regime" até 2025