Pesquisar
Pesquisar

Vox, partido de extrema-direita da Espanha, inicia primeiro governo em comunidade do país

Isabel Rodríguez, porta-voz do executivo de Pedro Sánchez, atentou para que sigla não faça retroceder os avanços em direitos e liberdades das mulheres
Armando G. Tejeda
La Jornada
Madri

Tradução:

O partido espanhol de extrema direita Vox entrou ontem pela primeira vez em um governo autonômico, o de Castilla y León, com uma vice-presidência e três conselheiros. 

Trata-se do primeiro acordo de coalizão entre o conservador Partido Popular (PP) e Vox, que abre as portas das instituições a uma formação política irmanada com movimentos ultras no mundo, como os que arvoram Marine Le Pen na França, Viktor Orbán na Hungria, Donald Trump nos Estados Unidos e Jair Bolsonaro no Brasil. 

Partido espanhol VOX, racista, xenófobo e negacionista, se alia ao PAN, do México

O líder do PP em Castilla y León, Alfonso Fernández Mañueco, tomou posse de seu cargo em um ato institucional ao que compareceram representantes de Vox e do PP, mas também do governo central. 

No referido ato formalizou-se a constituição do novo governo autonômico, com o que assumiu como vice-presidente da região Juan García Gallardo, o líder da formação extremista, e que contará ademais com três conselheiros.

As eleições em Castilla y León foram no passado 14 de fevereiro, depois que o presidente Mañueco, que foi reeleito, decidiu adiantar as eleições diante da suposta fratura em seu governo de coalizão com Ciudadanos, que agora praticamente desapareceu do mapa eleitoral.

Isabel Rodríguez, porta-voz do executivo de Pedro Sánchez, atentou para que sigla não faça retroceder os avanços em direitos e liberdades das mulheres

20 minutos
Trata-se o primeiro acordo de coalizão entre o conservador Partido Popular (PP) e Vox, que abre as portas das instituições




Distribuição das cadeiras

A distribuição das cadeiras foi de 31 para o PP; 28 para o PSOEUnión del Pueblo LeonésUnidas Podemos e Por Ávila obtiveram cada um uma cadeira. 

Com esta distribuição eleitoral, a única alternativa viável de governo era a aliança entre o PP e Vox, já que a esquerda sofreu um severo retrocesso em relação às eleições de 2020. 

No ato, não esteve presente o novo líder do PP, Alberto Núñez Feijóo, mas sim o líder nacional do Vox, Santiago Abascal, o qual augurou que este será o primeiro de muitos pactos entre ambas as formações visando o futuro. 

Por parte do governo central, presidido pelo socialista Pedro Sánchez, compareceu a ministra da Educação, Pilar Alegría, mas desde Madrid a porta-voz do governo, Isabel Rodríguez, atentou para que “esta aliança não vá fazer retroceder os avanços em direitos e liberdades das mulheres”.

Armando G. Tejeda, Correspondente de La Jornada em Madri
Tradução por Beatriz Cannabrava



As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Assista na TV Diálogos do Sul



Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:

  • PIX CNPJ: 58.726.829/0001-56 

  • Cartão de crédito no Catarse: acesse aqui
  • Boletoacesse aqui
  • Assinatura pelo Paypalacesse aqui
  • Transferência bancária
    Nova Sociedade
    Banco Itaú
    Agência – 0713
    Conta Corrente – 24192-5
    CNPJ: 58726829/0001-56

       Por favor, enviar o comprovante para o e-mail: assinaturas@websul.org.br 


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.

Armando G. Tejeda Mestre em Jornalismo pela Jornalismo na Universidade Autónoma de Madrid, foi colaborador do jornal El País, na seção Economia e Sociedade. Atualmente é correspondente do La Jornada na Espanha e membro do conselho editorial da revista Babab.

LEIA tAMBÉM

Pedro Sánchez Apresenta Plano de Regeneração Democrática no Congresso Espanhol
Pedro Sánchez apresenta ações contra fake news enquanto lei mordaça segue em pauta
Afeganistão: os talibãs avançam rumo ao reconhecimento internacional
Talibãs no Afeganistão ampliam cooperação e avançam para ganhar legitimidade internacional
Republicanos atraem voto latino para Trump em meio a ataques a imigrantes
Republicanos prometem 50% do voto latino enquanto líderes atacam imigração ilegal na convenção
China e Rússia iniciam manobras militares conjuntas em resposta à expansão da OTAN
Manobras militares China Rússia são uma resposta à expansão da Otan na Ásia