Venezuela denuncia impacto do bloqueio norte-americano nos programas de saúde

As sanções impostas à Petróleos de Venezuela (PDVSA) provocam um impacto criminoso em programas sociais e acordos firmados na área da saúde

O Governo da Venezuela alertou neste domingo a comunidade internacional para o "Impacto criminoso" gerado pelas sanções coercitivas e ilegais de Washington contra a empresa estatal PDVSA, que financia inúmeros programas sociais e acordos na área da saúde, que prestam atendimento aos seus trabalhadores e ao povo venezuelano.

Com recentes medidas da administração estadunidense para endurecer o bloqueio à empresa estatal venezuelana, "ficaram em situação de extrema vulnerabilidade pacientes venezuelanos que viajaram para diversos países para receber tratamentos. Neste mesmo instante, correm perigo as vidas de 25 pacientes, na sua maioria crianças", alertou o Ministério dos Negócios Estrangeiros através de um comunicado.



Estes 25 casos dizem respeito a cidadãos venezuelanos que estão à espera de receber trasplantes de medula óssea. Jorge Arreaza, que divulgou o comunicado na sua conta de Twitter, afirma no documento que a sua "recuperação se encontra em grave risco, como consequência do bloqueio ilegal dos fundos para o pagamento de tratamentos, serviços médicos e manutenção durante a sua estadia no estrangeiro".

"Este tipo de sanções, promovidas por agentes políticos venezuelanos e decretadas pelo governo dos Estados Unidos, constitui uma violação flagrante dos Direitos Humanos dos pacientes afetados, e os seus efeitos são diametralmente opostos aos que proclamam sob a falsa bandeira da ajuda humanitária", lê-se no texto divulgado este domingo.

O Governo da Venezuela revela que continua a tomar medidas para concretizar os recursos necessários aos tratamentos médicos no estrangeiro, "sem êxito até ao momento, razão pela qual denuncia perante o mundo os efeitos sociais nefastos da política imperialista de agressão" contra o país.

Flickr | Antonio Marín Segovia
Governo venezuelano revela que continua a tomar medidas para concretizar os recursos necessários aos tratamentos médicos no estrangeiro

Diversos programas da PDVSA na área da saúde

As sanções impostas pelos EUA estão a impedir o cumprimento, por parte da empresa petrolífera estatal venezuelana, de vários programas que leva a cabo, no âmbito das «boas práticas em matéria de responsabilidade social e de compromisso com o desenvolvimento integral do país». Entre esses programas, de caráter social e na área da saúde, têm especial ênfase o apoio a casos de risco que requerem medicamentos, tratamentos e intervenções de alto custo, revela a TeleSur.

Atualmente, as iniciativas da PDVSA beneficiam centenas de pacientes que estão a ser tratados em centros de saúde no estrangeiro e mais de 500 mil pacientes a nível nacional. No âmbito destes programas, recebem cuidados médicos doentes de patologias crônicas como HIV, cancro, síndrome de Parkinson e epilepsia.

Os convênios da estatal venezuelana promovem ainda o financiamento de cirurgias e tratamentos associados a trasplantes do pâncreas, do fígado e da medula óssea.




Comentários